Direcção do MpD acusada de amiguismo na escolha dos candidatos

10/06/2016 08:00 - Modificado em 10/06/2016 08:01
| Comentários fechados em Direcção do MpD acusada de amiguismo na escolha dos candidatos

MPDO anúncio dos candidatos do MpD às autárquicas não foi recebido de forma  consensual, chegando até mesmo a dividir as opiniões. O fantasma de candidaturas paralelas ao partido pode vir a ser uma realidade, com nomes excluídos dos candidatos a debaterem sobre o assunto. O MpD, por outro lado, quer pôr um ponto final na iniciativa de candidaturas independentes. 

O ‘asemanaonline’ traz uma afirmação de Rui Figueiredo sobre a situação. “Primeiro vamos esperar, vamos apelar ao bom senso das pessoas, à união do partido, que todos façam parte das soluções que o MpD propõe para cada um dos Municípios. E, no caso de aparecerem candidatos que não foram designados a concorrer, o MpD vai “contornar a situação e tomar as medidas necessárias”.

Entre os militantes, as reacções têm sido ambíguas. Vários manifestam o próprio apoio enquanto que outros criticam os nomes e as formas de selecção, falando em amiguismo político.

“Li a lista com atenção e posso dizer só isto: não se pode agradar a gregos e a troianos”, escreve um internauta na página do partido. Na mesma senda, outro militante afirma que “todos têm de apoiar os candidatos escolhidos para o bem do partido”. Outro militante, sem reservas, afirma que todos precisam apoiar os candidatos sem reservas para a continuação da consolidação da democracia.

“E os militantes do MpD deveriam respeitar o trabalho que fizeram na escolha de candidatos. Deveriam evitar criar situações desnecessárias para o bem da nossa democracia”, apela um outro internauta.

Mas as críticas são muitas neste processo de escolha. Começam pela escolha de presidentes que já vão em mais de quatro mandatos. “Os presidentes com 4 mandatos não deveriam concorrer. O MpD tem pessoas capazes e as com quatro mandatos já fizeram das câmaras uma herança dos seus pais”.

O amiguismo político tem sido um dos argumentos usados para criticar as escolhas. “O partido está a ser controlado por amiguismo e isso é mau. Onde está a vontade do povo que escolheu o seu pré-candidato para a CMP e outros Concelhos? É isso que o povo quer e nada da vontade do partido. Outro internauta afirma que por esse mesmo motivo, “na Ribeira Brava, os critérios não foram respeitados. O MpD que assuma as consequências”.

Em grandes post ou com um simples “foi feita a vontade dos compadres”, entende-se o sentimento de alguns militantes do partido: insatisfação. “Quem manda é o Povo e não o interesse do partido. A vontade do povo está acima de todos e de tudo. Se vocês estão ali e se o MpD está no poder é porque o povo quis e quer, por isso, sou contra qualquer um que foi colocado pelo Conselho na Boa Vista e na Praia. O povo vai demonstrar mais o exemplo de força!”

Com vozes discordantes, o pedido tem sido de união. “Sim senhor, temos candidatos, vamos à luta todos juntos sem divisão para mais uma grande vitória dos munícipes”. Agora é esperar para ver o que vai acontecer nas próximas eleições quando apenas somente o MpD tem candidatos para todos os círculos e os outros partidos, como o PAICV, tem os nomes a irem saindo aos poucos e a UCID, mantém-se mais silenciosa ainda sobre o processo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.