Dia Mundial do Ambiente: casas e lixeira preocupam

7/06/2016 08:02 - Modificado em 7/06/2016 08:02
| Comentários fechados em Dia Mundial do Ambiente: casas e lixeira preocupam

ambienteNo dia Mundial do Ambiente, a cor verde dominou as ruas da cidade do Mindelo. Não de plantas, nem de árvores, mas de voluntários e funcionários da CMSV em acções de sensibilização para a protecção do ambiente. “Ruas limpas, responsabilidade de todos”, é o tema escolhido para este ano, e as acções de sensibilização estiveram relacionadas com a recolha do lixo numa tentativa de levarem as pessoas a esperarem pelo camião da recolha em vez de deixarem o lixo nas ruas antes do horário, o que torna o lixo acessível a animais ou a outros factores que podem dispersar o lixo e sujar a cidade.

“Sensibilizar as pessoas para terem mais cuidado com os resíduos sólidos, mais consciência para colocarem o lixo na hora”, como diz o Vereador Anildo Fortes que tem a seu cargo o Pelouro do Saneamento.

O mesmo faz um balanço positivo da população mas avança que deve haver melhorias na actuação das pessoas em relação ao lixo. “É continuar a fazer estas acções. Nalguns pontos tivemos de colocar guardas para impedir que as pessoas colocassem o lixo nas ruas antes do tempo”. Além das pessoas, a sensibilização abrange os trabalhadores da edilidade no sentido de passarem nas ruas com mais calma, buzinarem antes e não enquanto estão a passar de forma a darem tempo às pessoas para despejarem o próprio lixo nos carros”.

Situações preocupantes em São Vicente: casas abandonadas e lixeira

A situação preocupante em São Vicente reside nas casas abandonadas usadas como depósito para despejar o lixo, para além de espaço para as necessidades fisiológicas. A lixeira é uma outra preocupação. Uma lixeira a céu aberto onde se verifica uma situação social e económica degradante com pessoas a viverem da recolha do lixo.

Sobre as casas abandonadas, o Vereador explica: “Temos tido preocupação neste aspecto e todos os dias somos confrontados com este problema. A fiscalização tem tido sempre essa preocupação e há dificuldade em identificar os proprietários. Temos de implementar medidas mais duras para que as pessoas possam cuidar desses locais”. Anildo Fortes diz que é preciso responsabilizar os proprietários das casas para que possam terminar as construções e, no caso de não conseguirem vedar os espaços, para não criarem mais situações do género.

As denúncias de casas abandonadas têm sido constantes e podemos arriscar e afirmar que em cada zona se verificam situações do género.

Quanto à lixeira. “A lixeira é uma preocupação que temos desde o início do mandato e, infelizmente, é um projecto que envolve muito dinheiro e esperamos que o Governo possa chegar a um entendimento para não termos uma lixeira, mas sim uma estação de tratamento de resíduos sólidos”.

Para o Vereador não faz sentido a ilha continuar a ter uma lixeira a céu aberto e já chegou a altura da ilha ter uma estação de tratamento de resíduos sólidos. O que já não vai acontecer neste mandato mas espera que os próximos governos tenham este projecto em conta.

Balanço geral
Numa panorâmica geral, acho que posso dizer que a situação melhorou muito apesar de haver alguns casos pobtuais, mas ainda há muitas coisas a fazer. Temos feito um esforço para colocar papeleiras e as pessoas destroem as papeleiras”.

Neste sentido, a edilidade chama a todos a assumirem a responsabilidade de manterem a cidade limpa.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.