Óscar Santos é o escolhido do MpD para a Câmara Municipal da Praia

6/06/2016 08:19 - Modificado em 6/06/2016 08:19

oscar santosApós várias pré-candidaturas a Câmara Municipal da Praia (CMP), Óscar Santos é o escolhido pela Comissão Política Nacional do Movimento para Democracia. O mesmo que sucedeu Ulisses Correia e Silva, actual primeiro-ministro, dará continuidade ao seu trabalho na câmara da capital.

Óscar Santos, Alberto Melo, Agostinho Lopes e Miguel Monteiro foram os homens do MpD que estavam nas corridas para CMP e entre eles, Óscar Santos é o candidato para liderar a campanha nas autárquicas que decorrerão em Setembro de 2016.

As redes sociais servem de palco para as reacções a esta escolha e no perfil do candidato do MpD a Câmara Municipal da Praia lê-se: “Caro colega Óscar gostaria de felicitar-te por teres sido escolhido como candidato do MPD às eleições autárquicas de 2016. Contigo sei que a Câmara Municipal e o Município da Praia está em boas mãos. Nas mãos de um homem competente, trabalhador e rigoroso. Nas mãos de alguém que vai dar continuidade ao excelente trabalho que tem sido feito até agora. Eu como Vereadora, que fez parte da gestão Camarária nesses dois mandatos, posso testemunhar o teu empenho abnegado em conseguir que os projectos que nos propomos a executar chegassem a bom porto. Um Presidente da Câmara tem de ser honesto, trabalhador, coerente, firme e capaz de saber resistir a influências, pressões e tentações. És o tal!!!! Tens o meu apoio incondicional.”

Ainda Óscar Santos é felicitado por outros internautas que apoiam a sua continuidade na CPM, “nunca duvidei que síria ele o escolhido para continuar os trabalhos de Ulisses, pelo seu Perfil e Competência e só quem o conhece para dizer desde a muito o homem certo para o lugar” diz Paulinho, porém João Tomar adverte que “o MpD é um partido de quadros competentes, foi escolhido o Óscar devemos agora unir em torno deste projecto, para o bem da Praia”, uma vez que havia outros candidatos dispostos a darem a cara pelo partido nas autárquicas.

Por outro lado, alguns questionam qual o objectivo das sondagens e no perfil do Beta que já tinha começado uma forte campanha para sua eleição como candidato do MpD para CMP, escreve no seu perfil : “Regulamento de escolha de candidatos é claro como água.

Resulta do nº1 do artigo 6º do Regulamento que estabelece o modelo de escolha de candidatos aos órgãos autárquicos que “A sondagem destina-se a preparar as decisões da CPN quanto à escolha do candidato a Presidente da Câmara Municipal de um determinado concelho, apurando a notoriedade, a intenção de voto e o nível de rejeição de cada candidato”. Tendo em conta este critério, esclarecedor e claro como a água, importa fazer algumas observações.
Em função do resultado expresso na sondagem, Alberto Mello (Beta) totalizou 33 por cento (%) de apoios dos inquiridos na sondagem, contra 17% de Óscar Santos, 5,2% de Agostinho Lopes e, por último, 3,2% de Miguel Monteiro.

Resulta, pois, desta sondagem, que Beta é o preferido dos militantes do MpD e dos praienses para continuar o trabalho iniciado por Ulisses Correia e Silva em 2008.

Decorre ainda do estudo de opinião, que Beta é aquele com índices mais elevados de notoriedade e os menores indicadores de rejeição (ao contrário dos outros pré-candidatos e, mais concretamente de Óscar Santos). Ou seja, Alberto Mello é aquele que tem melhores condições de garantir uma folgada vitória democrática nas eleições autárquicas de 4 de Setembro.

A questão que se coloca é esta: em função dos resultados da sondagem – onde Beta sozinho tem mais votos que os outros pré-candidatos juntos -, por qual razão a Comissão Política Nacional do MpD decidiu escolher como candidato do partido o presidente substituto, Óscar Santos?

Que estranhos interesses estarão por detrás desta decisão? Por qual razão o Partido quer silenciar a voz das ruas, dos eleitores, dos cidadãos comuns e dos militantes do MpD?

Que cada um encontre, na interioridade da sua consciência, a resposta para esta questão.

Leia o Regulamento que estabelece o modelo de escolha de candidatos aos órgãos autárquicos.

  1. Paulo Duarte

    Não é só na Praia. Já para legislativas foi uma vergonha também em Barlavento onde os resultados das sondagens foram enormemente mitigados(S.Antão, S.Vicente e S.Nicolau). A hierarquização das listas nada tiveram a ver com o que fora o resultado das sondagens, sem esquecer os muitos que nunca chegaram a saber em que posição terão ficado.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.