RTC e Inforpress: fim de um casamento forçado

3/06/2016 07:57 - Modificado em 3/06/2016 07:57

Abraao-Vicente-lei-fusao-RTCICom a entrada do Governo, tudo volta como antes na RTC e Inforpress, com o Governo a dissolver a RTCI. “Há uma separação da RTC da Inforpress. O Governo cumpre o prometido ao povo cabo-verdiano colocando a Inforpress como mediadora da comunicação social e totalmente independente, plural e ao serviço dos cabo-verdianos em todas as ilhas”, como justificou o Ministro dos Assuntos Parlamentares, Elísio Freire. O mesmo acrescenta que a medida foi tomada depois de ouvir os agentes da comunicação ainda antes das eleições.

Mas a medida já era esperada. Durante a campanha foi um dos compromissos do MpD. Abraão Vicente, Ministro que tutela área da Comunicação, já tinha afirmado que os trabalhadores da Inforpress “não estavam contentes e nem se reviam” na fusão operada pelo Governo de José Maria Neves, quer no modelo de gestão quer, principalmente, na componente editorial.

Ainda sobre a fusão, o actual Governo viu-a como uma forma de instrumentalização dos órgãos públicos da comunicação social. E a revogação, apesar de se ter notado algum recuo do Governo quando assumiu funções, era a única solução para a RTCI segundo o que se poderia entender das declarações do actual Governo.

Ainda no mesmo Conselho de Ministros, o Governo revogou a lei que cria a Curadoria do Mindelo e do Tarrafal. Revogou ainda um conjunto de portarias e resoluções tais como as portaria e resoluções da Orquestra Nacional, Galeria Nacional, Teatro Nacional, Circo Nacional e do Ballet de Cabo Verde. Vai rever ainda os moldes de financiamento da AME.

  1. O titulo por si só diz muita coisa, sobre o casamento forçado. Parece-me que o Governo andou bem em separá-los.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.