Electra pediu 260 contos para levar energia para um prédio no Lazareto

3/06/2016 07:37 - Modificado em 3/06/2016 07:37

pagar dinheiroUm investidor nacional está à beira de um ataque de nervos por causa da ELECTRA. Isto porque construiu um prédio para arrendamento no Lazareto e desde 2014 está à espera que a energia eléctrica seja ligada.

Primeiro, a empresa alegou que não tinha contadores, depois que não tinha cabos, que a zona não tinha energia e, finalmente, porque não tem postes de iluminação para colocar na zona. O empresário diz que tem andado de Seca a Meca para resolver o problema, mas não consegue. Relata que em 2015 solicitou uma vistoria ao local e o engenheiro da ELECTRA que fez a vistoria concluiu que “não se justificava que o prédio não tivesse energia eléctrica, pois havia energia a cerca de 20 metros”. Para resolver a questão, pediu um orçamento para realizar o trabalho. A Electra apresentou um orçamento de 260 mil escudos, mas Orlando Spencer não concordou. No Orçamento a que o NN teve acesso, datado de 21 de Janeiro de 2016, a empresa pediu só para pagamento da mão-de-obra dos electricistas 56.160,00, utilização da viatura 6.500,00, abertura e fecho de vala 5.606,40, abertura de cova 12.000,00, por um total de 80.266.40. O resto, cerca de 117.588,75 destinava-se ao pagamento de cabos, calhas, poste de madeira, etc.

O referido empresário não aceitou o orçamento, reclamou e o preço foi revisto para 168 mil escudos. E efectuou o pagamento desse valor na esperança que, finalmente, a energia eléctrica chegasse ao prédio. Só que foi informado que tinha de esperar porque “não há postes”. Postes estes que já tinha pago. Cansado da situação, resolveu pedir a devolução do montante, mas o seu pedido, até agora, não foi aceite.

O NN tentou saber a versão da ELECTRA sobre este assunto, mas ainda não obtivemos resposta.

  1. A Electra quer é só cobrar, agora devolver que é bom nada. Eu pessoalmente estou incluido no rol dos contribuintes que estão prejudicados com a Caução devida por esta empresa que não gosta de pagar. Já vão em 5 reeligações com Caução, portanto feitas as contas dão no total de 27.600$00.

  2. Nuno Ventura

    Há aqui de facto muita desorganização e desprezo pelo cliente e isso tem que ser corrigido rapidamente.

    No que toca aos preços de ramais e baixadas compete à ARE fixar periodicamente os preços unitários com que a ELECTRA deve usar nos orçamentos. Mas também a ARE tem que levar uma volta.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.