PM confirma que o CEMFA não foi nomeado por “motivos pessoais”

30/05/2016 07:15 - Modificado em 30/05/2016 07:15

forças armadasO primeiro-ministro Ulisses Correia confirmou o que este online havia avançado: o novo CEMFA não foi nomeado porque a última hora alegou motivos pessoais para impedir a nomeação.

Com efeito a escolha do chefe do governo recaiu sobre o Coronel António Monteiro, mas este depois de ter aceite o convite ligou para o Presidente da República, que se encontrava em vista a oficial a Portugal, evocados motivos pessoais e de saúde de um familiar” para justificar a desistência. O PR aceitou esses “motivos imprevisíveis” e suspendeu a nomeação.

Assim Ulisses Correia e Silva teve que encetar  uma segunda ronda de contactos para escolher um novo CEMFA. E conforme o NN já  noticiou a escolha recaiu sobre o tenente-coronel Anildo Morais que estava a exercer as funções de comandante da guarda costeira.

De acordo com declarações do PM  esta nomeação será oficial nesta semana.

  1. Militar

    O problema é que os nossos jornais não estão informado devidamente e nem fazem investigação sobre esses militares em questão e também não estão a dizer as verdades aos Caboverdianos. O que realmente passou, foi que o Sr. PM encetou contactos com o Tuinga na perspectiva que ele teria um curso de mestrado, entretanto o governo e o Sr. Presidente da República, antes de avançar com a nomeação, pediram ao Departamento do Pessoal das Forças Armadas para confirmar as qualificações que o Tuinga dizia possuir-se. Durante o estudo do processo desse militar, o Sr. PR e Ministro da Defesa verificaram-se que o Tuinga vinha MENTIR no que respeita à sua qualificação académica. O PR e o MD ficaram estupefactos quando aperceberam que o Tuinga tinha ido para a Ex-URSS (União Soviética) com o quinto ano incompleto da Escola Técnica do Mindelo e que frequentou o curso de oficiais no Colégio Naval de Baku, Azerbaijão onde obteve DIPLOMA (SEM o direito ao GRAU de LICENCIADO) em navegação. O Tuinga também frequentou também o curso de especialidade em Segurança Marítima e Proteção Ambiental na Universidade de Malmo na Suêcia (como ele não tinha os pré-requisitos académicos, lhe foi conferido o diploma de participação sem direito a nenhum grau académico). Perante esta FRAUDE, o PR lhe interpelou-o para apresentar o Certificado de Conclusão do Curso Complementar dos Liceus bem como o Certidão de Graus Universitários passado pela Comissão de Reconhecimento de Graus e Equivalências passado pela Direcção Geral do Ensino Superior e Ciência do Ministério da Educação e Ensino Superior e o Tuinga com medo de ser DESMASCARADO com FRAUDULENTO, recuou-se e inventou problemas familiares para não aceitar a nomeação.
    Para reconfirmar esses dados, os senhores jornalistas deviam fazer um trabalho de investigação junto do Departamento do Pessoal das Forças Armadas, Ministério da Educação, Escola Técnica do Mindelo, Colégio Naval de Azerbaijão e Universidade Marítima de Malmo.

  2. michael

    O problema é que os nossos jornais não estão informado devidamente e nem fazem investigação sobre esses militares em questão e também não estão a dizer as verdades aos Caboverdianos. O que realmente passou, foi que o Sr. PM encetou contactos com o Tuinga na perspectiva que ele teria um curso de mestrado, entretanto o governo e o Sr. Presidente da República, antes de avançar com a nomeação, pediram ao Departamento do Pessoal das Forças Armadas para confirmar as qualificações que o Tuinga dizia possuir-se. Durante o estudo do processo desse militar, o Sr. PR e Ministro da Defesa verificaram-se que o Tuinga vinha MENTIR no que respeita à sua qualificação académica. O PR e o MD ficaram estupefactos quando aperceberam que o Tuinga tinha ido para a Ex-URSS (União Soviética) com o quinto ano incompleto da Escola Técnica do Mindelo e que frequentou o curso de oficiais no Colégio Naval de Baku, Azerbaijão onde obteve DIPLOMA (SEM o direito ao GRAU de LICENCIADO) em navegação. O Tuinga também frequentou também o curso de especialidade em Segurança Marítima e Proteção Ambiental na Universidade de Malmo na Suêcia (como ele não tinha os pré-requisitos académicos, lhe foi conferido o diploma de participação sem direito a nenhum grau académico). Perante esta FRAUDE, o PR lhe interpelou-o para apresentar o Certificado de Conclusão do Curso Complementar dos Liceus bem como o Certidão de Graus Universitários passado pela Comissão de Reconhecimento de Graus e Equivalências passado pela Direcção Geral do Ensino Superior e Ciência do Ministério da Educação e Ensino Superior e o Tuinga com medo de ser DESMASCARADO com FRAUDULENTO, recuou-se e inventou problemas familiares para não aceitar a nomeação. Para reconfirmar esses dados, os senhores jornalistas deviam fazer um trabalho de investigação junto do Departamento do Pessoal das Forças Armadas, Ministério da Educação, Escola Técnica do Mindelo, Colégio Naval de Azerbaijão e Universidade Marítima de Malmo.

  3. michael

    Peçam ao Bedja, Tenente-coronel Alcides Miranda o Diploma do antigo 7º Ano! Vão ter surpresas. O Homem têm um 7º Ano muito incompleto e vai ser dificil localizar esse documento no nosso liceu.

  4. A tão famosa nomeação dos CEMFA.
    Sou de opinião de que a nomeação do CEMFA, poderá obedecer os critérios políticos,mais também de carácter militar,assim como a de competência, sociabilidade em lidar tanto com os civis e militares,ser leader e ter poder de liderança e que dá uma maior tranquilidade a Instituição.
    Quando vejo vejo um militar coronel, convidado à CEMFA, eu já sabia que isto cheirava a podridão, porque sabia que o SR. Presidente não ia nomea – lo de ânimo leve, sem analisar o percurso e carreira do referido.Então pergunto, como este senhor chegou à Coronel com estas incongruências todas,então onde estava o Departamento de Pessoal e Justiça,hoje Comando do Pessoal,não é só este senhor que está nesta situação, que os senhores jornalistas devem e deviam procurar saber, quem omitiu os dados,refiro-me a protecção dos taxistas e dos seus conluios.
    É uma vergonha enquanto havia pessoal com provas dadas e com formação superior impediram de chegar pelo menos ao Tte-coronel pq o Chefe da então tinham as suas gentes e…!? Falo do Responsável antes da nomeação do Alberto Fernandes, acho que o único responsável, é o Brigadeiro Matos e o responsável do pessoal.

  5. …O Sr. Ministro tem pessoas competentes,mas o que é fundamental é ter poder de liderança e ser leader. Pq quem for nomeado terá que enfrentar o Octávio, Miranda, João, porque são conhecedores e têm qualificações Académicas e militares. Quem for taxistas terá muitas dificuldades em fazer a gestão das Fs.As. Vejam o caso do sr. Coronel Tuinga, não enganou a ninguém, teve sorte porque os chefes fecharam os olhos. Isto é revoltoso,no mandato do “Zema”(peço desculpas por ter utilizado Zema)não é faltar respeito ao Dr.Neves, mas identifico com ela, até os Ttes-Coronéis na Reforma foram promovidos à Coronéis, enquanto havia militar com mais formações e que desempenhou funções de Chefe de Departamento, hoje Comando do Pessoal, onde esta a justiça? Por serem militantes do PAICV? Gostaria de ter uma resposta. Espero que o Sr. Ministro da Defesa , antes de apresentar os nomes, deve ponderar bastante para não cometer os mesmos erros, em relação ao “Tuinga” ,Como militar cinto vergonha, ao tomar conhecimento desses factos, significa o que é?que são gravíssimos. Este Senhor deve ser LEVANTADO, um Processo crime, por tentar enganar o Governo e Presidente da República.Acho que o Sr. Ministro da Defesa,devia e deve instaurar um processo disciplinar e averiguar como este senhor chegou ao posto de Coronel. Atenciosamente, fico atento ao facto, evitando que outros venham …!?

  6. Estarei ao vosso dispor para qualquer esclarecimento.Não tenho nada pessoal contra o Coronel, mas cinto enganado também pela Instituição Fs:As.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.