Lista de Transição dos Professores: todas ralham e alguém vai ter razão

26/05/2016 06:54 - Modificado em 26/05/2016 06:54

professor

Com a anulação da Lista de Transição dos Professores, a classe tem um retrocesso naquela que tem sido a sua luta para que o Governo responda e resolva as principais reivindicações.

Esta é uma questão que ainda vai fazer rolar muita tinta já que, com esta decisão, os professores voltam à estaca zero e a luta irá, mais uma vez, recomeçar conforme havia assegurado o Sindicato Nacional dos Professores, “lutar até às últimas consequências para fazer valer a lei e também os direitos dos professores”.

A opinião sobre este facto é, deveras contraditória. Enquanto uns estão a favor da decisão, tendo em conta as justificativas, outros estão revoltados e encaram esta decisão como falta de respeito e profissionalismo da Ministra.

Entretanto, outros questionam se existem mais sindicatos em Cabo Verde para além do SINDEP.

Pela óptica de alguns utilizadores da internet, os professores foram enganados pela anterior Ministra, já que não pode haver um despacho sem assinatura do Ministério das Finanças e Administração Pública. “Há que repor a legalidade, como disse a nova Ministra da Educação, porque algo estava mal e agora, a mesma vai apresentar novas listas aos sindicatos e depois, publicar no boletim oficial. Não é questão de ganhar tempo como dizem”.

Defendem a posição do Governo que disse querer resolver os problemas dos Professores. “O SINDEP é que deveria ter calma, porque este novo Governo não pactua com as irregularidades que foram cometidas, isto é, vai de acordo com a lei”.

“Dizer que o novo Governo se vai esquivar neste sentido, o SINDEP não está a agir correctamente e tem de ser mais responsável tendo em conta que esta foi a apresentação do Programa do Governo e Moção de Confiança ao Parlamento para depois apresentar o seu Orçamento do Estado e depois entrar em plenas funções”, explica um internauta que assina pelo nome de Marcelino.

Entretanto, os professores, claramente, não gostaram da atitude da nova Ministra da Educação e, segundo os mesmos, esta deve ter um pouco de “brio profissional” e assumir os compromissos com a classe docente e de todos os objectivos do partido no poder.

“Como docentes, sentimo-nos inconformados e lesados perante esta decisão de uma pessoa que ocupa tal cargo”, diz um professor, que ao mesmo tempo exige que esta volte atrás na sua decisão e que peça desculpas à classe.

  1. Antonio

    Os profesores incomodados deviam era ter VERGONHA,depois de o anterior Governo andar ANOS e ANOS agozar com a clase, e chegar nas vesperas das eleições e a PRESSA fazer um despacho ILEGAL e com fim ILEITORALISTA para os ENGANAR! TENHAM CALMA.

  2. DMonteiro

    Agora que o MPD está no poder, onde se encontram o SIPROFIS e a CCLS sobre esta questão?

  3. josé

    Bem feito porque maioria dos professores fizeram campanhas pelo MPD.
    O senhor José Manuel Vaz chefe de CCSL e de Sindicato FECAP aonde se encontra.
    8000 professores na lista revogado é BONITO de mais, será que são todos do PAICV.
    José Manuel Vaz é quem mandou anular a lista porque está espera de ser Secretario de Educação

  4. teacher

    A nova ministra tem toda a razao, esse ministerio so tem tido ministras afilhadas do Paicv que foram sempre irresponsaveis, começando pela Filomena que nas vespas das eleiçoes publicou a lei medida que beneficiou as suas camaradas e que desiquilibrou o MEd. Depois foi a sua sucessora tambem sua camarada a Fernanda que publicou essa lista tambem de forma irresponsavel,onde muitos pularam de salario sem se fazer o minimo de esforço em termos de formaçao, e estao ja anciosos para encher o bolso com retroativos.
    Uma outra camarada sua a gaga que faz parte deste gang de irresponsaveis precisa tambem por um stop na questao da avaliacao no oitavo ano de escolaridade com todas essas provas que ela ja inventou.
    Essa lista e estes criterios de avaliacao precisam sim ser revistas ,apoio a actual Ministra.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.