Fábrica Favorita: Trabalhadores deverão receber indemnização dentro de um ano

23/05/2016 08:31 - Modificado em 23/05/2016 08:31

fabrica favoritaHá vários anos que os trabalhadores da Fábrica Favorita aguardam ansiosos pela indemnização dos anos de trabalho. O caso está sob a alçada do Tribunal de São Vicente e parece tomar outros contornos. Com efeito, decorreu, esta quinta-feira, mais uma sessão de julgamento onde o Juiz do Tribunal Cível exigiu que os proprietários da Fábrica apresentassem uma proposta que pudesse indemnizar os trabalhadores no prazo de um ano.

Há oito anos que a Fábrica Favorita fechou as portas e despediu todos os trabalhadores que dizem passar por momentos difíceis e dificuldades em encontrar outro emprego. Foram vários anos de trabalho, pois dedicaram anos na profissão e não sabem fazer outra coisa.

Há vários anos que os trabalhadores aguardam ansiosamente pela decisão. O processo começou a dar passos em direcção da resolução do problema dos trabalhadores. Na passada quinta-feira, dia 19, o Tribunal de São Vicente exigiu em audiência de julgamento que os proprietários da fábrica apresentassem no prazo de uma semana uma proposta no sentido de agilizarem o processo de modo a indemnizar os trabalhadores no período de um ano.

Na sequência do julgamento do caso que envolve a extinta Fábrica Favorita e seus trabalhadores, vários foram os que se deslocaram na passada quinta-feira ao Tribunal no sentido de se inteirarem da resolução do problema. Uma vez que o caso tomou contornos judiciais para resolução do problema, os trabalhadores poderão vir a receber a suas indemnizações no prazo de um ano.

Para os trabalhadores entrevistados, o encerramento da fábrica trouxe vários constrangimentos. Dívidas bancárias ainda por pagar, filhos menores sob a própria responsabilidade, moradias em construção, sãos algumas das preocupações colocadas pelos ex-funcionários. Os mesmos dizem viver de apoios de familiares.

Inconformados, afirmam que “a empresa só olhou para o seu umbigo”, pois passaram-se vários anos e os trabalhadores continuam na mesma situação, sem indemnização, sem reforma, desempregados, muitos devido à idade.

Sem informações sobre o andamento da tão falada venda do espaço, os entrevistados dizem-se incrédulos na resolução do problema.

  1. TCHABETA

    O CALVARIO DOS EX.- EMPREGADOS DA CASA DO LEAO.. VAI DURAR E MUITO POR DESCASO DA JUSTIÇA DA R E P U B LI C A D A S B A N A NA S M O L E S

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.