Agressão ao aluno: O professor está a dar aulas normalmente

17/05/2016 08:46 - Modificado em 17/05/2016 08:46

agressão professorO professor que agrediu um aluno do 7º ano na Escola Secundária Olegário Tavares continua a exercer funções até ao momento. O Director da escola está de férias, a Inspectora-geral da Educação recusa-se a pronunciar-se porque está para ser substituída no cargo e o subdirector assegura que o caso está sob a tutela do Conselho de Disciplina. Todavia, ainda o caso gera revolta e há quem aponte o dedo aos encarregados de educação que muitas vezes não se preocupam com os filhos nas escolas.

A agressão ao aluno do 7º ano  gera desagrado e alguns internautas questionam “será que esse ‘professor’ ainda não está suspenso das suas funções?”. Revolta é a palavra que muitos internautas expressam perante a cena de violência de um professor para com um aluno. “Esse não é professor… Como é possível instigar a violência numa sala de aula? Qual é a moral deste docente? Isto é revoltante”, diz Inocêncio. Ainda comenta que se tivesse sido com o seu filho, as coisas não ficavam com o “dito pelo não dito” e iria exigir a expulsão do professor.

Um internauta que assina como “professor” chama a atenção para o outro lado, o dos docentes que é hoje esquecido por muitos; em particular, sobre o quanto é difícil ser-se professor nos dias de hoje. “Apontam o dedo ao professor e os internautas pedem a demissão do mesmo. Tudo bem, o que o professor fez não foi correcto. Mas não esqueçam que o aluno é reincidente nas peripécias da indisciplina, tendo já comparecido várias vezes diante do Concelho de Disciplina. Aqui mencionam o dever dos professores evocando leis. Pergunto: e onde está a dos pais e encarregados de educação? A educação vem do berço minha gente. Por isso é que estamos mal nas salas de aula. E o que fazer com a indisciplina dos alunos nas salas de aula quando os mesmos agridem os professores verbalmente e, às vezes, até fisicamente? Aí nenhum aluno filma para enviar para a imprensa”, frisa o comentarista. O mesmo assegura ainda que dias piores estão por vir, uma vez que alguns encarregados de educação andam a “sacudir o capote” e deixam a responsabilidade da educação dos filhos aos professores e acrescenta que os “professores do Ensino Básico têm alunos do 2º ano de escolaridade (7/8 anos) que perturbam e desestabilizam a turma todos os dias e nem o professor nem o gestor do pólo conseguem fazer nada, e ao se chamar os encarregados de educação, qual é a resposta? “mim jam ca ti ta pode quel, bzot desenrrascá, bzot tchamá polícia”. São vários casos destes nas nossas escolas do Ensino Básico, que é obrigatório e a gente não tem como, nem colocar uma falta de indisciplina ou colocá-lo na rua, tão pouco outra coisa. Ele pode fazer o que quiser… nem a polícia da escola segura está a conseguir driblar vários casos de indisciplina que estão decorrendo nas salas de aula. Isto falando do básico que vai dos (6 – 14/15 – 1º e 2º ciclos)”. Todavia, a responsabilidade cabe aos pais e encarregados de educação, estando as crianças inseridas em famílias desestruturadas e aquelas não podem ser responsabilizadas. Neste sentido, o professor em anonimato defende que “há por aí tantas leis, criam leis por tudo e por nada, mas há que criar uma lei que obrigue os pais a se responsabilizarem pelos filhos”.

  1. António Sousa

    Eu penso que as pessoas estão preocupadas em ver o professor fora da sala de aula. Mas nós devemos deixar a investigação correr os seus tramites e no final toda gente saberá o resultado final da investigação. Hoje exercer a profissão de docência é um risco, porque os alunos ameaçam os professores, usam palavras indignas contra eles e danificam viaturas dos docentes.
    É necessário punir severamente atos de indisciplinas na sala de aula. Os pais estão ausentes e o professor hoje é docente, educador, pai e muitas vezes responde também pelo aluno em substituição da família.

  2. Sem nome

    É por isso que criminalidade está a aumentar nesta terra. Os alunos de hoje são bastante agressivos, não respeitam os professores; na sala de aula atiram objectos nos professores e quando estes tomam alguma atitude são intimidados e ameaçados com expulsão. Os maiores responsáveis do aumento da criminalidade são os pais que protegem os filhos, pensando que são santos. O ministério da educação deve mudar as leis que intimidam os professores desta terra, caso contraio cairemos no abismo.

  3. Para o Antônio Sousa, serás tu um pai? Ou tens a mínima de idéia, o que significa o papel de um professor? Se fosse com um dos teus familiares, como agirias? Pelo amor de deus, queres defender, este impiedoso, estúpido e um mal formado, sim! Emagimem só, se fosse num pais de justiça, este desgraçado, já contava com uns dias encarcerado.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.