Monte Tchota: investigação militar diz que houve premeditação do crime

16/05/2016 08:27 - Modificado em 16/05/2016 08:27

Massacre Monte Tchota3O comandante da 3.ª Região Militar, o tenente- coronel Carlos Monteiro, que tutela a investigação do assassinato de onze pessoas por um militar no destacamento de Monte Tchota disse a Lusa que que ainda está- se na fase de interrogatórios. Mas os primeiros dados indicam que ” houve  premeditação do crime”por isso acrescentar “Continua-se em interrogatórios, no sentido de, na medida do possível, fazer encaixar todas as suas declarações, depois de se fazer uma análise minuciosa de diversas declarações do arguido com perguntas diversificadas”.Relativamente ao processo de Manuel António Silva Ribeiro, o comandante da 3.ª Região, de que depende hierarquicamente o destacamento de Monte Txota, disse à Lusa ter delegado num oficial subordinado a instrução do processo.

Questionado sobre se o suspeito foi sujeito a alguma avaliação psicológica ou a testes para apurar se estaria sobre o efeito de alguma substância, Carlos Monteiro adiantou que, até ao momento, tal não aconteceu.

Disse que a avaliação psicológica “será o procedimento posterior”, que os testes ainda não foram feitos e que “existe uma fita de tempo que vem sendo escrupulosamente cumprida pela equipa de Investigação Criminal Militar”.

Conclusões preliminares apresentadas pelas Forças Armadas e pelo Governo apontam “motivações pessoais” na origem do crime, que terá acontecido depois de um desentendimento entre o suspeito e outro militar.

O soldado António Silva Ribeiro, 22 anos, mais conhecido por ‘Entany’, é suspeito da morte de 11 pessoas – oito militares e três civis, incluindo dois cidadãos espanhóis – no destacamento de Monte Txota, na localidade de Rui Vaz, interior da ilha de Santiago, a 25 de abril.

Segundo as Forças Armadas, o suspeito, que era militar do mesmo destacamento e está em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional Militar, terá confessado o crime e mostrado arrependimento.

Fonte Lusa

  1. cesaltina

    todo pessoa cu cabeca tronco e menbro ca tem duvida um rapacinho de 22ano ta consigue fazi um terrivel horrivel trabadjo de mata propi colegas qui tiras VIDA , pa nenhum des ca consigui distruil MATAL ou seja sendo um toma Tiro tudo ques outro logo em alerta MAXIMA 8 MILITARES es ta FRITAL si qui ta fazedo portanto flado falou de perdao nos tudo mae no esta chinti DODO DE DOOOR ele como Terroristas cu acompanhantes trabadjo fazedo bem contando maldade ma na tropa sofreu ele esta a continuar disfarcando MAES DODO DE DOOOOOOOOOOORRRRRRRRRRR.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.