ASFIC/PJ acusa DN e exige nova liderança da PJ

13/05/2016 05:18 - Modificado em 13/05/2016 05:18

PJA ASFIC/PJ, Associação dos Funcionários da Investigação Criminal da Polícia Judiciária não alinha no discurso cor de rosa, tipo Alice no país das maravilhas, proferido pela direcção nacional da PJ para assinalar o 23* aniversário da corporação.

Em comunicado a ASFIC/PJ considera que” A evocação desta data, assim como no ano transato, ocorre num período conturbado na vida da instituição, uma vez que se encontra por resolver algumas questões de grande relevância para os profissionais da PJ, que muito dão de si e da sua vida para o combate a criminalidade e o bem da nossa sociedade.” Está associação que travou um longo braço de ferro com o anterior ministro da justiça pede ao novo governo ” que urge tomar medidas necessárias para efetivamente dotar a instituição de meios eficazes ao combate a criminalidade e de incentivo aos seus profissionais”. Pois no entender da ASFIC/PJ “A actual situação não é sustentável por muito mais tempo, pois profissionais da PJ, há muito aguardam por melhores dias e, malgrado essa situação têm sido sistematicamente confrontados com posições da Direcção da PJ, que põe em causa os direitos dos trabalhadores e o bom funcionamento da instituição em si.”E citam exemplos “A corroborar essa nossa posição está o atraso no pagamento da Providencia Social que já vai em cinco meses, situação que é de todo grave, pois os funcionários são descontados mensalmente e quando vão as farmácias para comprar medicamentos são recusados a comparticipação do INPS, por falta de pagamento do serviço”.

Outra denúncia tem a ver com a redução da apólice do subsídio de risco para metade, do valor, feito unilateralmente pelo Director Nacional, sem dar conhecimento aos profissionais da PJ,” assunto que a nosso ver é da competência do governo, e isso para nós os funcionários mais do que falta de respeito é sim, uma afronta.” E concluem que “a Policia Judiciária, neste momento precisa duma liderança, capaz de solucionar os problemas dos seus profissionais e de conduzir com sabedoria os destinos desta nobre instituição, que graça aos seus profissionais, ainda é o exemplo em Africa e no Mundo.”

  1. Augusto Galina

    Cada um pode solicitar, pedir… mas EXIGIR é coisa que cabe a muito poucos.
    A violência não nos leva a parte nenhuma. Ou melhor, leva ao Tribunal e à cadeia.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.