Entany ainda não foi acusado, mas “está bem e a ser bem tratado”

11/05/2016 08:30 - Modificado em 11/05/2016 08:30

2Conforme o NN tinha informado a justiça não sabe o que fazer com o fuzileiro que matou oito militares e três civis em Monte Tchota.Não há juízes no Tribunal Militar. Não existe Polícia Judiciária Militar. Estado Maior das Forças Armadas está demissionário. O rei vai nu como o ministro da defesa a procura de mantas para o cobrir. E agora não se sabe quem deve investigar o crime de Monte Tchota. E a dar razão a essa denúncia um despacho da  luta ,que cita a defesa que está a ser assumida pelo defensor oficioso militar, que a acusação a Entany ainda não foi formalizada. Trocando por miúdos: um soldado confessa há quinze que matou onze pessoas  e ainda não foi acusado. Isto porque de acordo com a Lusa o processo de António Silva Ribeiro está em investigação pelo Comando da 3ª Região Militar de Cabo Verde, que tem 90 dias para instruir e remeter o processo ao Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas que, posteriormente, o enviará ao Tribunal Militar. Mas  como  se sabe está sem juízes.

A família do soldado que se encontra em prisão preventiva no estabelecimento prisional militar na Cidade da Praia, não contratou até ao momento um advogado para assegurar a defesa do jovem.
Fonte da família disse à agência Lusa que até ao momento não foi possível recorrer a um advogado civil por falta de meios financeiros.

Por isso, a defesa está a ser assumida pelo defensor oficioso junto do Tribunal Militar, que não tem formação jurídica, situação que é permitida pela justiça militar.

Ressalvando que o processo se encontra em segredo de justiça, a fonte da defesa disse à Lusa que o jovem já foi sujeito a “alguns interrogatórios” e garantiu que todos os seus direitos estão a ser respeitados. Questionado sobre se o militar foi sujeito a alguma avaliação psicológica, a fonte adiantou que tal está previsto, mas não soube precisar se já aconteceu.

A mesma fonte disse que segundo informações fornecidas pelas Forças Armadas, o detido está “bem e a ser bem tratado”.

António Silva Ribeiro, 22 anos, mais conhecido por “Entany”, é suspeito da morte de 11 pessoas – oito militares e três civis, incluindo dois cidadãos espanhóis – no destacamento de Monte Txota, na localidade de Rui Vaz, interior da ilha de Santiago.

  1. CARLOS

    “bem e a ser bem tratado”.
    FRANCAMENTE!!! AGORA É VITIMA!!!
    DEUS PACIÊNCIA!

  2. ivan

    antany tem dereito sima qualquer cidadao

  3. jorge

    ““bem e a ser bem tratado”.
    FRANCAMENTE!!! AGORA É VITIMA!!!
    DEUS PACIÊNCIA!” –
    Mesmo que ja tivesse sido acusado, e julgado, tinha que ser bem tratado, afinal como diziam os nossos antepassados”cadeia nao foi feita para burros”, ou seja foi feita para colocar seres humanos, a fim de pagarem pelos seus erros,… portanto, seja qual for o desfecho do caso, deve ser tratado como um ser humano…

  4. jorge

    ““bem e a ser bem tratado”.
    FRANCAMENTE!!! AGORA É VITIMA!!!
    DEUS PACIÊNCIA!” –
    Mesmo que ja tivesse sido acusado, e julgado, tinha que ser bem tratado, afinal como diziam os nossos antepassados”cadeia nao foi feita para burros”, ou seja foi feita para colocar seres humanos, a fim de pagarem pelos seus erros,… portanto, seja qual for o desfecho do caso, deve ser tratado como um ser humano…

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.