Novo CA da TACV toma posse com auditoria na agenda

4/05/2016 07:27 - Modificado em 4/05/2016 07:27
| Comentários fechados em Novo CA da TACV toma posse com auditoria na agenda

Luís Sá NogueiraO Governo já apresentou publicamente o novo Conselho de Administração da TACV. Luís Sá Nogueira como Presidente do Conselho tendo Armindo Sousa como Administrador Financeiro e Marco Couro Administrador da Área de Operações. O novo Conselho foi apresentado pelo Ministro da Economia e Emprego, José Gonçalves.

A companhia área nacional não tem sido sinónimo de boas notícias, tendo vários acontecimentos nos últimos tempos revelado a situação difícil por que a empresa tem passado. O último evento foi o arresto de um Boing da empresa na Holanda por causa das dívidas.

O novo Conselho, como primeira medida, deverá inteirar-se da situação real da empresa. Como afirma Luís Nogueira, vão “ter de se inteirar da situação real da TACV, para terem uma noção do que está a acontecer e saberem qual o caminho a seguir”. E, neste sentido, faz-se necessário conhecer os dados que ainda não têm.

O Ministro anuncia algumas medidas e princípios a serem seguidos. A segunda medida, como explica, é efectuar com a máxima urgência uma auditoria técnica e financeira da empresa. Esta auditoria tem como missão, “procurar a verdadeira situação financeira da empresa, já que os dados apresentados não inspiram confiança e fidelidade nos números e cenários”.

Neste sentido, a real situação da empresa ainda é uma incógnita, prevendo uma auditoria para saber como está e quais as medidas a serem implementadas. Do que se tem discutido sobre a empresa a situação não é nada fácil.

Das outras medidas anunciadas pelo Ministro, enumeram-se a nomeação de órgãos sociais com pessoas idóneas e competentes, a constituição de um Conselho Consultivo de alto gabarito para a tomada de decisões da TACV e, ainda, a procura de opções inovadoras de reestruturação e tributação da TACV visando opções pragmáticas.

“Proceder à actualização dos estudos e planos de acção com cenários realistas perspectivando opções optimizadas de reestruturação e eventual privatização da empresa”, como afirma José Gonçalves.

Sobre as medidas do novo Governo, o novo PCA da TACV afirma que “são orientações globais do conhecimento que têm da companhia e, provavelmente, daquilo que é a política de transporte na globalidade. Nós somos nomeados para administrar a empresa seguindo as grandes orientações do Governo. Mas acreditamos que é possível”.

A mensagem é de confiança para a população e muito trabalho para fazer com que a TACV voe mais alto.

Um dos impedimentos de voos mais altos pode ser a avultada dívida da empresa. “É uma companhia que custa ao Estado cerca de 100 mil contos por mês, é dinheiro que o Estado não tem, considerando o grande endividamento público”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.