“MPD e o PAICV já estão no terreno a oferecer o que não lhes pertence”.

12/04/2012 00:26 - Modificado em 12/04/2012 00:26

João do Rosário, presidente do PTS, garante que a candidatura do seu partido “vai até o fim”. A despeito de “rumores sobre a possibilidade do PTS ter desistido de apresentar a sua candidatura” ou que vai integrar listas de outros partidos. Para o Rosário o partido está na política porque o PTS é um partido de “causas e bandeiras”, tendo como principal causa a da Ilha de São Vicente.

João do Rosário acredita na dinâmica do partido que, para esse líder, está a trazer uma lufada de ar fresco a política cabo-verdiana caracterizada pela “seriedade, pelas ideias, pelas soluções, pela frontalidade e respeito para com os adversários”.

Para o PTS a conjuntura politica actual não tem facilitado os partidos sem assento parlamentar. Para João do Rosário a lei de financiamento dos partidos impede estes partidos de terem acesso ao financiamento por parte do estado. O PTS acusa o Estado de fechar os olhos e não de fiscalizar “a forma milionária como estes partidos se financiam”. Sendo uma das razões que apontam para o afastamento de outros partidos das corridas eleitorais e promover a compra de “votos e consciência”.

Afirma que o MPD e o PAICV já estão no terreno “a oferecer o que não lhes pertence”. Para sustentar a sua afirmação, Do Rosário, fala de ofertas de terrenos, projectos de ligação de  água, saneamento e electricidade da parte da CMSV. Em relação ao governo fala da oferta de empregos, casa pra todos, portos de águas profundas etc….

Ainda na onda de denúncias o presidente do PTS, afirma que tem provas de “cidadãos que não querem integrar as listas de outros partidos com medo de represálias ou de serem colocados na lista negra do MPD e PAICV”. Isto porque, segundo o presidente, contactaram algumas pessoas que mostraram o mesmo receio. “A existência das listas negras que intimidam e condicionam as escolhas dos cidadãos é um atentado terrorista contra a democracia”.

O PTS garante que vai continuar a denunciar estes tipos de situações em nome da “igualdade, da solidariedade e da liberdade”.

 

  1. joao

    O MPD EM S. VICENTE JÁ ESTÁ NA ESTRADA. ANDA DE ZONA EM ZONA A ENGANAR AS PESSOAS QUE NÃO SE ENTENDEM DA POLÍTICA, QUE A CÂMARA CHEFIADA POR AGUSTO NEVES NÃO FEZ MAIS PORQUÊ O GOVERNO NÃO TRANSFERE DINHEIRO. ORA, O GOVERNO GERE DE ACORDO COM AS DISPONIBILIDADES FINANCEIRAS E O GRUPO FOI ELEITO PARA GERIR O MUNICÍPIO DE ACORDO TAMBÉM COM OS SEUS RECUROS QUE TEM. SE O GOVERNO É OBRIGADO A FINANCIAR TOTALMENTE AS CÂMARAS MUNICIPAIS, ENTÃO NÃO FAZ SENTIDO ELEGER O PRESIDENTE E O GRUPO ELEIO PARA GESTÃO DE QUALQUER MUNICIPIO. E MAIS, JOSÉ MARIA NEVES DISSE QUE EM CABO VERDE NÃO HÁ MUNICÍPIOS POBRES NUM ESTO RICO – ESSA QU É A REALIDADE

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.