Homicídio matadouro: Tribunal absolve arguido

3/05/2016 07:30 - Modificado em 3/05/2016 07:30

juiz3

O Tribunal da Comarca de São Vicente proferiu, esta segunda-feira, a sentença contra o arguido Hipólito acusado de homicídio agravado. O 1º Juiz Crime entendeu absolver o arguido julgando os factos não provados.

O arguido Hipólito, segurança do matadouro em São Vicente, estava a ser acusado do crime de homicídio agravado contra o próprio colega, Osvaldo, conhecido por “Vává”. Tudo terá acontecido em Novembro de 2015. Decorridos seis meses, o arguido foi presente esta segunda-feira para a leitura da sentença que se traduziu na sua absolvição.

Em reacção ao NN, o advogado Dith Mar Lima que assegura a defesa do arguido, acredita que o Tribunal “foi justo” uma vez que o seu constituinte sempre se declarou inocente. O mesmo acredita que “a acusação limitou-se simplesmente a acusar o arguido tendo em conta que um morreu e o outro ficou vivo”.

Quanto à reputação do arguido, o advogado acredita que vai haver represálias por parte da sociedade mas que irá superar com o tempo, sendo o mais importante a sua absolvição, uma vez que não houve motivos suficientes para o condenar.

O arguido terá afirmado perante o Juiz que não atingiu o colega com qualquer arma e assumiu ter sim agredido “Vává” com um soco e com uma pedrada na cabeça uma vez que se encontrava descontrolado, tendo sido agredido pela vítima com diversas facadas.

Segundo o Juiz, “as declarações das testemunhas e do próprio arguido foram determinantes”, pois nenhuma das testemunhas afirmou ter visto o arguido a desferir golpes de faca contra a vítima e as diligências realizadas pelo Tribunal para a recolha de provas não provaram os factos.

No dia do homicídio, a vítima “ Vává” teria sido substituída pelo chefe de serviço, uma vez que se encontrava sob o efeito de bebida alcoólica, pelo que não apresentava condições para trabalhar. A vítima acatou as ordens mas terá ficado pelas redondezas e regressou ao local onde terá ameaçado com a arma do crime o colega substituto. Intimidado com a situação, este terá abandonado o local tendo a vítima ficado no matadouro.

Segundo as declarações do arguido, a vítima encontrava-se alcoolizada daí este ter pedido que fosse embora sob ameaça de accionar a Polícia. Osvaldo não terá ficado satisfeito e começou a ameaçar o arguido com a faca. Hipólito não terá ficado satisfeito com as provocações da vítima que lhe mandou chamar a mãe tendo revidado com um soco no rosto.

O arguido terá sofrido vários golpes de faca, daí que se apoderou de uma pedra desferindo-a contra a cabeça de “Vává” que caiu sobre a faca espetando-a na zona peitoral esquerda, causando-lhe a morte.

  1. Fernando Fortes

    O Hipólito é um bom homem.
    Não acredito que ele tenha culpa na morte do colega.
    Conheço perfeitamente bem os dois.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.