PM enceta contactos para nomeação de novo CEMFA: Anildo Morais e António Monteiro bem posicionados

2/05/2016 08:20 - Modificado em 2/05/2016 11:24

forças armadasEste online sabe que o primeiro -ministro já encetou contactos para a nomeação do novo Chefe de Estado Maior das FA. Isto, depois do actual CEMFA, Adalberto Fernandes ter colocado o cargo a disposição, na passada sexta-feira, no decorrer do massacre ocorrido no destacamento de Monte Tchota, onde um militar assassinou onze pessoas.

De acordo com o regulamento o PM vai ter que escolher um entre três candidatos de hierarquia superior, como o posto de coronel ou tenente coronel. Entre estes o chefe do governo escolhe o que lhe dá mais confiança, pois trata- se de um cargo de confiança política. Por exemplo, havendo dois coronéis e um tenente coronel, pode optar pela patente inferior desde que mereça a sua confiança. O escolhido será graduado a major general para poder desempenhar as funções de CEMFA. Mas, a escolha tem de passar pelo crivo do Presidente da República, que é o chefe supremo das Forças Armadas, que pode vetar o nome ou aprovar.

Três candidatos: Anildo, Jorge e e António

De acordo com diversos oficiais superiores contactados por este online, neste momento os candidatos com currículo para o cargo não são muitos e resumem-se a três: os coronéis Jorge Martins e António Monteiro e o tenente coronel Anildo Morais.

Deste quadro as nossas fontes consideram que o coronel Jorge Martins, comandante da guarda é o que tem menos possibilidades, porque nessa qualidade vai ter que responder pelos acontecimentos de Monte Tchota. Aliás foi ele que esteve na conferência de imprensa a reconhecer que “as comunicações falharam”.

O coronel António Monteiro, actualmente a exercer o cargo de Capitão dos Portos de Barlavento, depois de deixar o comando da Guarda Costeira, era tido como o terceiro na hierarquia nas FA e tudo apontava que um dia seria CEMFA. Mas, a sua saída, dizem as nossas fontes, em “divergências ou fruto da política de terra queimada do CEMFA Adalberto Fernandes”  deixaram o cargo mais longe de Monteiro. Mas, no meio castrense o seu currículo e a sua postura fazem dele um “bom candidato”.

Anildo Morais, tenente coronel, comandante da Guarda Costeira, ex. Comandante da primeira região militar e comandante da Instrução do Morro Branco, apesar de entre os três possíveis candidatos ter a patente inferior é considerado “um candidato com experiência e que desempenhou bem as funções por onde passou. Mas, que sobretudo é o que gera maior consenso junto dos militares “.

Mas agora a palavra é do primeiro – ministro.

  1. impossivel

    Espero que o António Monteiro não é Angula e nem Tuinga agora na capitania. Cuidado Sr. Ulisses.

  2. BADIA

    O tenente Coronel Anildo Morais não encara essa responsabilidade porque gosta do seu bem estar na sombra e água fresca tarefa esta como Chefe estado Maior tem que ser de quem fez ao longo da carreira serviço Militar, e o Anildo nunca teve essa oportunidade ele sempre viajou em cima da crosta da onda.
    Durante seu percurso teve sempre sorte grande, agora deixar Mindelo para trabalhar na Praia esse nunca.
    Conhecendo esse individuo minimamente ele prefere abandonar Militar ir para reserva de que deixar a sua mordomia que ja habituou

  3. michael

    Os três arrogantes e sem provas dadas, sem relacionamento humano e que Deus nos acuda! Só gostam de viajar e mais nada. com estes é que a tropa vai cair no abandono e relaxamento geral. Quais condições é que eles reunem??? Talves simpatia de pessoas “Civis” que desconhecem a instituição e a missão desta.
    Aviso está dado, quem tem ouvido que oiça!

  4. VIRULENTO

    Coitado da familia Aguiar de TERRA BRANCA-Praia com tanta campanha a volta deste imbrologo de Monte Tchota e ainda hoje segunda feira tanto uma e outro telefonaram para radio a opinarem lambendo tapete ao governo de UCS não foi nem tido nem achado como CEMFA. Parabens UCS!

  5. BADOXA

    Força Antonio Monteiro, UCS irá te escolher!

  6. Zé Jorge

    Sr. PM, peço-lhe muita mas muita ponderação. Muitas vezes essa coisa de patente só atrapalha porque muitos, como o Jorge Martins nem a respeita.
    Por isso, nesse momento o Jorge Martins, comandante da guarda nacional e da 3ª região militar, adjunto do CEMFA seria um candidato automaticamente excluído dado à postura dele perante os últimos acontecimentos.
    Quem sabe… ele deve ter ficado calado, precisamente, para não se expor e sair da sombra como novo CEMFA.
    Ele não tem ética nem profissionalismo de um militar que honra a sua pátria.

  7. Observador

    António Duarte Monteiro, afinal é o único que não que era da ala do CEMFA demissionário e foi “queimado” por ser critico de algo que estava mal!
    E vamos aos fatos Jorge Martins sem chance nomear CEMFA seria premia-lo pela sua incompetência na forma com lidou com o caso de monte tchota, afinal ele é Comandante de Guarda Nacional, entidade responsável pela protecção das instalações criticas como é caso da monte tchota devido aos equipamentos lá instalados. O Comandante da Guarda Costeira Aníbal Morais, já basta ter sido premiado para este cargo cujas competências ficam a aquém dos requisitos exigidos para a área, mas era da ala do Alberto Fernandes e ajudou no apoio ao afastamento de António Duarte . O mais grave que Anibal Morais pesa sobre ele o falecimento de dois militares quando era comandante da 1ª região Militar, quem não se lembra do suicídio em Abril 2014 do jovem recruta de Santo Antão devido a lentidão deste senhor em responder o pedido de saída deste jovem para cuidar da mãe doente e ainda paira sobre o seu comando morte em Maio de 2013 do fuzileiro (de Santiago) na Baia de Gatas, Anibal Morais e Jorge Martins não merecem a nomeação e o Jorge Martins se fosse camarada já devia ter posto o cargo a disposição !
    António Duarte Monteiro merece um voto de confiança porque foi afastado por criticar algo que ira mal e desafios atuais merecem alguém com experiência e currículo que poucos nas FA se podem gabar-se !
    Vejam o link sff http://www.asemana.publ.cv/spip.php?article87179

  8. Fernando Fortes

    Anlido Morais, homem simples, de uma grande humidade, que está fora com conflitos que grassam na cúpula militar,pode ser o homem,capaz de gerar consenso e ajudar a reformar este exercito.
    Pelo menos, por ter chefiado a Guarda Costeira, não terá a ideia dos outros chefes, que baseados na teoria do TEI, tudo faz para bloquear o desenvolvimento da G.C..

    Uma proposta-vamos transformar a 1ª região no centro da guarda costeira.
    Vamos juntar sinergia,deixar de haver guarda costeira de um lado e 1ª região do outro.
    Passamos a ter apenas a guarda costeira, como o comando já integrado.A 1ª região passa a ser o Comando da guarda costeira, com a esquadrilha já incluída.
    Vamos poupar recursos.
    O centro de instrução fica anexo ao comando.
    O país ganha.
    Vamos utilizar a guarda costeira,para formar soldados marinheiros, soldados maquinistas, soldados pilotos, em concertação com a escola do mar.
    Vamos utilizar a nossa juventude, levando-os a servir o país,mas,em troca saem formados com formações válidas para o país e para as suas vidas futuras.
    Podemos formar gente em Cabo Verde e não ficar com as mãos estendidas a espera de formação dos países amigos.
    Vamos crescer juntos,de uma forma planificada.
    Vamos deixar de formar fuzileiros e pô-los fora e pouco tempo.
    Vamos contrata-los ,por períodos longos 10 a 15 anos, dar-lhes depois formação complementar, e utilizar a sua experiência a bem do pais.
    Para isso basta saber escolhe-los.

  9. michael

    O curriculo às vezes é bonito e nos leva pela boniteza a cometer asneiras. O António Duarte Monteiro, não gosta de trabalhar. Ele é um inimigo do trabalho. Faz dos outros burros de carga e não respeita e nem trata bem os sues colaboradores, pura e simplesmente os ignora. O que ele gosta é de viajar e estar no pão quente a fazer basofarias. O comportamento não se coaduna com um CEMFA a sério. Se for para brincar claro que ele é a melhor escolha.
    Aviso está dado, quem tem ouvido que oiça!

  10. Rogério Soares Olive

    Depois de aferir a publicação é pertinente fazer um pequeno reparo, conforme reza a alínea 2 do artigo 278º (Promoção a Major-gemeral) “ Caso o número de coronéis for inferior a 3 (três), é promovido ao posto de Major-General o oficial escolhido entre Coronéis e Tenentes-coronéis”. Desta forma apraz sublinhar que poder-se-á ser escolhido qualquer Tenente coronel no activo visto que, neste momento só existe 2 Coronéis no activo.

  11. Marinheiro

    Depois di “Tambra e do Bebeto” qualquer um que venha é mais um. O Anildo faz parte do sistema. Por isso o meu voto é no Monteiro “Tuinha”

  12. dexanmama

    Esse Mário Elisio Aguiar não era aquele que era fiel do armazém de trapos dos Sr. Meno Soares? Eu vi na televisão a falar de tropa! Penso que é ele sim. Se alguém jáesteve no referido armazém ajuda-me a esclarecer. Acho que ele nunca comandou Região Militar. O cururiculo dele só serve para fielde armazém de latas de tinta?

  13. Tropa Nato

    Deixem-se de merdas. Nenhum deles servem para o cargo de CEMFA. O Tuinga durante o tempo que esteve à frente da Guarda Costeira, nada fez, só viajou. Ele é um bairrista e irá aumentar as despesas das FA porque todas as semanas teria que viajar para São Vicente. Fez pressão e campanha junto do PAICV para levar a GC para São Vicente porque não aguenta viver na Praia. Deixou a GC no que se vê hoje.
    Na minha opinião o UCS deveria trazer o Anildo temporariamente para ocupar o cargo e com tempo e reflexão escolheria o próximo CEMFA. Não temos pressa. Jorge Martins não serve, todos nós sabemos porquê. Ele e o Comandante da 3ª RM deverão pôr o cargo à disposição, pois são os principais responsáveis do ocorrido. Sejam nobres como o Bebeto e peçam demissão.

    Tuinga, é feio pa bu ta aproveita situação k sta pa bu manda poi és artigo na jornal.
    Nu sabi ma é bô k manda publica kel artigo li. Dja ka tchiga kés 12 oficiais k sai de GC pamodi bô? Fica undi bu sta ku bus diplomas falsos.

  14. dexanmama

    Não querem publicar? Vou comentar em outros jornais. Graças a DEUS de todo o poder exitem outros jornais.

  15. michael

    Criticou o CEMFA porque o António Duarte monteiro não gosta de subordinar. Será que vai gostar de subordinados?

  16. michael

    O Jorge Rosário, disse e muito bem na rádio nacional de que no tempo dele coisas dessas não aconteceriam, isso é verdade porque acontecendo ele nem dava por isso, porque como “Moqueiro de 1ª” que sempre andava a rastejar na parada, apetecendo-lhe sempre estar na posição horizontal, não dava conta de nada.Imaginem, até um moqueiro de 1ª a enxovalhar as Forças Armadas nesta hora e, a dizer que é militar na reforma, um triste exemplo. Um abraço de Xema Lopi.

  17. SANKARA

    Resumindo e concluindo ja nao temos Ninguem que Preste para essa Funcao

  18. fiquem a saber

    O Tuinga (António Monteiro) não serve para o cargo. Perguntam quantas vez viajou para a holanda na altura da construção do navio guardião. haja saco para o aturar. Queremos pessoas honesta em cargos de chefia.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.