Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas chora e pede desculpas à Nação

2/05/2016 08:05 - Modificado em 2/05/2016 11:31

alberto fernandesAlberto Fernandes, Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas em Cabo Verde, pede desculpas à nação cabo-verdiana e assume a responsabilidade pelo massacre em Monte Tchota que vitimou oito militares e três civis.

Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas que visitou, no Domingo, o destacamento militar de Monte Tchota em entrevista à TVCi, assume a responsabilidade pelo acto do militar suspeito, conhecido por Entany, que terá assassinado 8 colegas e os 3 civis. Alberto Fernandes que não conteve as lágrimas e a tristeza pede desculpas aos cabo-verdianos e principalmente aos familiares das vítimas. O mesmo frisa que uma briga entre o suspeito e um colega estará na origem das mortes em Monte Tchota, que originou numa chacina no qual não deveria ter acontecido e que marca pela negativa a histórias das Forças Armadas em Cabo Verde. Neste sentido o Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas já apresentou o seu pedido de demissão ao Presidente da República.

Por outro lado, Alberto Fernandes pede a população que apesar de muita dor e o luto do país que as Forças Armadas não sejam julgadas pelo acto do suspeito, Entany, que terá assassinado os militares e os civis.

  1. Robin

    Gostei da postura deste senhor e das palavras que proferiu. É o primeiro dirigente deste país, que me recordo, que age desta forma. Assume a culpa, assume as suas responsabilidades e pede a demissão. A grande maioria dos dirigentes deste país, agarrados aos seus cargos e as benesseses que os mesmos lhes dão, nunca fariam isto. Outra coisa que me impressionou foi o seu sentimento sincero de tristeza, desolação e dor pelo que aconteceu. Parabéns pela sua postura Sr. Alberto Fernandes. O Sr. deu uma lição de humildade e integridade a todo esse pessoal dirigente do estado.

  2. Eduardo Oliveira

    O CEMFA não tem qualquer culpa material do caso. Nem moral tampouco. Pode suceder a qualquer militar, seje de que patente for, perder a cebeça e cometer um desatino.
    No caso vertente, o soldado é um tipo de mà cepa que se encontrou no lugar onde não devia estar por ninguém adivinhar. Duvido até que um especialista tenha detectado qualquer tara num exame de entrada. Tudo pode acontecer, infelizmente.

  3. Augusto Fortes

    Atitude errada por parte das chefias militares. Não tendo havido despacho de exoneração, emanada do PR, o CEMFA e os seus adjuntos, mais o Inspetor das FA deveriam manter-se na plenitude das suas competências até o cabal esclarecimento do acontecido. Uma instituição militar com chefias demissionárias é uma instituição fragilizada no seu todo e, consequentemente, altamente perigosa para a segurança nacional. Decorrem várias investigações; em se chegando nas conclusões finais, que as chefias superiores, incluindo o CEMFA, tiveram culpa por ação ou por omissão, então sim, seria tempo de colocar os lugares à disposição. O que é diferente de pedir demissão.

  4. Grace Beatriz

    Infelizmente, senhor Alberto Fernandes. Tao triste, que nao ha palavras para exprimir o nosso sentimento.
    Eu so posso dizer, que estamos e estaremos sempre juntos convosco.
    Forca ai!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.