Denúncia: “Os soldados operam em condições péssimas no destacamento de Monte Tchota”

28/04/2016 07:40 - Modificado em 28/04/2016 07:40

forças armadasUm oficial superior que por razões ponderosas respeitamos o anonimato, a nosso pedido, respondeu à seguinte questão: “Como é possível que um destacamento militar tenha sido dizimado e as FA não sabiam de nada?”. Começou por dizer que isso que aconteceu, “porque o nível operativo das Forças Armadas está em decadência há vários anos e agora bateu no fundo”.

Diz que nenhuma estrutura de comando teve conhecimento porque foi desactivado o serviço de Guarda Operativo. Um serviço que era coordenando por um oficial superior que tinha como funções “o contacto e ligações com todos os destacamentos e regiões militares, isso durante 24 horas para avaliar a situação operativa”. E não havendo essa coordenação, diz que não há razão para espanto que “as estruturas de comando não tenham sabido de nada”. Conclui dizendo que “é uma situação grave, mas as guarnições dos destacamentos sabem que estão abandonadas”.

Em relação ao destacamento de Monte Tchota, a fonte que vimos a citar esclarece que “a rendição é feita de 15 em dias 15. E até lá, eles estão entregues à sua sorte. E a prova é que o contingente foi dizimado e as FA ficaram a saber pela comunicação social 24 horas depois”. Assegura que no mínimo, no espaço de 24 não houve contacto exterior com a guarnição”. No seu entender, isso é prova “da baixa operacionalidade das Forças Armadas que no espaço de 24 horas não sabe nada sobre o que se passa num dos principais destacamentos”.

Más condições no destacamento: fome nos quartéis

Os soldados operam “em condições péssimas no destacamento de Monte Tchota”, garante este oficial superior sob anonimato. Ficámos a saber que o destacamento é composto por:
1 Cozinheiro, 1 sargento, 1 cabo e seis soldados que são rendidos de 15 em 15 dias.

A comida é confeccionada no destacamento o que não garante a qualidade mínima exigida. Refere que muitas vezes os mantimentos terminam e os militares são obrigados a irem pedir comida aos moradores de Rui Vaz. Mas existem denúncias que se passa fome nalguns destacamentos. Este online sabe que um sargento-mor, num encontro com o Chefe de Estado-maior, disse que “havia fome nos quartéis”. A única consequência desta denúncia foi a transferência do denunciante.

A fonte considera que o isolamento do local é “outra condicionante que piora as condições de serviço no posto”. Lembra que se trata de jovens que estando longe das famílias e sem forma de contactar, às vezes não suportam esse isolamento o que provoca consequências na sua estrutura psíquica.

E para piorar, diz que fazem o serviço 24 horas sobre 24 horas. No local existem dois postos de vigia e cada um com uma sentinela que é rendida de duas em duas horas. O que este militar de patente superior considera ser exagerado nas condições em que a guarnição opera. Mas diz que essa situação se estende a outros destacamentos, por isso, afirma que “os soldados foram transformados em máquinas de serviço de segurança”.

O NN tentou, via telefone, contactar o gabinete do Chefe de Estado Maior das FA para saber a sua versão sobre os factos aqui divulgados, mas não tivemos retorno

  1. Fuzileiro

    Muita das coisas dita aqui pelo esse oficial superior é a pura verdade. pelo meu conhecimento, esta situação vem arrastando desde 2005 a quando servi a pátria. Há sim fome nos quarteis ou melhor dizendo no quartel da 3ª região militar em Achada Mato. É uma situação lamentável. Nós na altura víamos carnes e mais carnes de vaca, porcos, etc,a entrar no quartel, e nós nunca chegávamos a ver nos nossos pratos, isso porque os graduados levavam para as suas casas e outros vendiam. Era isso que falta esse oficial dizer.

  2. ex 2ª cabo

    pois é inda mas nka ta intendi pmd ki recrutas ta ser maltratados na murro branco envez di treinado… é duro atura abuso di homi sima bo, pam ka fla otu menos homi…ka td alguem ki ta aguenta kes maltrato la sem fz nd, e num chefe ka ta toma num medida ta dexa recruta sufri…. ntem certeza ma monte recrutas dja pensa na fz asnera so ki talvez corage ka das, ses ka para pes toma medida la di raiz sima ta flado ki nes caso é muro branco pd ate bem contice algo semelhante ou ate pior….

  3. Antonio Martins

    Sr. Ministro do Exercito (Forcas armadas). Todos sabemos que Cabo-Verde ee reconhecido internacionalmente como PAIS de paz;e de igualdade. Entao porque o Senhor se esqueceu desses Cabo-Verdianos que fazem servicos em defeza da Patria ? Como Cabo-Verdiano, gostariamos de ouvir a vossa opiniao. Antonio Martins.

  4. Cabral

    A ser verdade é no mínimo um ato criminoso para quem tem a responsabilidade da defesa da integridade da Nação. Já imaginou que esses militares ficam extremamente vulneráveis, ao submundo do crime, por tudo e por nada? É por isso que anualmente deseparecem armas e munições dos quartéis, sem dó nem piedade e pior do que isso ninguém é responsabilizado.

  5. vozes secretas

    Perante o sucedido, estranho ainda o facto as Forças Armadas ainda estar em silencio absoluto.Deve ser culpabilizado a cúpula, ou seja alguém deve responsabilizar. Há um leque de erros praticados pelas F.A, estamos perante uma FA ineficiente, debilitada, como é possível ter um destacamento militar naquela zona e tb em outros lugares não há comunicação entre elas, não havendo controlo de armas, Temos uma F.A composta por homens que auferem salários astronômicos e não fazem nada dentro dos quartéis a não ser embriagar (beber)a qual tive a oportunidade de presenciar, uma elite que torturam soldados, abusam do poder, criam represálias para as de patente inferior causando situações de revolta, frustrações para muitos, outrora vivendo em condições “desumanas”, como sabe-se que maioria dos “delinquentes” são indivíduos que integraram as fileiras das FA, autentica fabrica dos fora da lei, onde aprendem algumas técnicas e utilizam-nas para atos obscenos, uma instituição onde há roubo e desvio de armas; peço demissão do chefe das FA..

  6. Sonsente

    O que aconteceu no Monte Txota é lamentável. Agora pergunto-vos, onde esta a reacção das Forças Armadas para nos esclarecer sobre esse acontecido. Todos nós cabo-verdianos queremos, uma reacção dessa instituição, é muito lamentável que até agora não deram nenhuma declaração para o povo, penso eu que esse silêncio tem algo por de trás disso tudo. Em relação a denuncia de maus tratos nos estabelecimentos das Forças Armadas de Cabo Verde, não é de hoje. Eu não fui para a tropa, mas muitos conhecidos meus, me relatam sobre os maus tratos que passam lá dentro. Um pai cansa em criar um filho, depois alguém vai abusar dele como se fosse um animal. Espero eu que o novo governo toma uma medida em relação ao assunto.

  7. TCHUBINHA

    FOME NA KORTEL PK SR VAGO MESTRE TEM VIDA BOM EL E KTA FAZE LISTA DKOMPRA, EL TA GERI ARMAZEN, EL TA GERI PANELA,,, MODA KEL KRE NA EXTIL FTXAME OIE PA BO PODE FAZE GITIM

  8. Sonia Silva

    Ha muito tempo e sabido dos maus tratos a nivel psicologico que acontecem nas FAs pelos que se acham “senhores do poder” e muita das vezes pelos proprios colegas principalmente na fase inicial de recruta – os ditos “”praxes. , e sem falar das agressoes fisicas tb e sabe se la que mais que acontecem ao longo do tempo que prestam o servico militar. Os responsaveis muita das vezes tem conhecimento de tais situacoes e simplesmente passam por cima. E pelo que eu sei num passado recente teve um caso de suicidio de um recruta.
    Hoje os pais, mulheres, filhos, familiares, amigos, enfim todos os caboverdianos e nao so, choram por essas vidas que se foram, mas tb provavelmente choramos por esse jovem, de certa forma ele acabou com a vida dele, foi um acto de extrema loucura. Se por acaso Ele tivesse vindo a sofrer maus tratos, que denunciasse, mas enfim acabou por tomar a pior decisao que um ser humano pode tomar.
    Espero que a justica seja feita, mas tb espero os factos sejam todos apurados e que cada um assume a sua responsabilidade.
    Penso que e urgente medidas para reforcar a seguranca em Cabo Verde em todos os sentidos, acabar com os abusos de poder, apostar mais na formacao e enquadramento dos jovens ( isso resolvera boa parte das criminalidades que vem acontecendo), devem ser mais rigorosos nos criterios de selecao das pessoas que tem ou que vao ter acesso a armas de fogo e tb principalmente respeitar qem apresenta por obrigacao ou voluntariamente para defender a Nossa patria. Caso contrario quem sofre e a propria sociedade.
    OBS: desculpem os erros ortograficos

  9. prisão para a chefia.
    não foi falta de aviso. isso podia ter sido evitado depois da morte em s. jorginho. não imagina o stress que esses militares passam. serviço dia sim dia sim e ainda o comandante diz que eles não merecem descansar pq senão fazem indisciplina e que eles tem que sacrificar. 8 deles já sacrificaram se calhar agora é a tua vez. eles querem boa vida. carro, combustível e mulheres militares. isso tem que servir de lição. infelizmente tiverem que pagar esses inocentes. criminosos

  10. Justiça Justiça Justiça- Prisão para o comandante da 3RM e o CEMFA e a comitiva toda. vocês não fazem a ideia do stress que os soldados são submetidos. serviço dia sim dia sim e sem o descanso que o regulamento recomenda. o Comandante da 3RM diz que os soldados não deviam descansar pq senão faziam indisciplina e que tinha que sacrificar. bom os 8 já sacrificaram e agora? se calhar faltas tu sacrificar agora, e a tua vez. este quartel está carregado de dividas, tomara que parte dessas dividas fossem canalizadas para as refeições ao mesmo um reforça alimentar. esses criminosos tem que pagar ou de um jeito ou outro. não foi falta de aviso, isso podia ter sido evitado desde da morte do soldado em s. jorginho. o que fizeram? nada ou seja bolas. preocupam e ter bons carros combostivel etudo gratis inclusive as mulheres militares. peruntam o Carlos monteiro cada dia passeia com uma dlas e tudo mais. esse cardeal que so sabe dar missa pq nao e capa z de re

  11. Voz di Voziz

    Faltou dizer que alguns saem do seio das suas famílias onde não lhes faltam nada, retirados da escola ou do emprego para passar fome, e servir de escravo…FA em Cabo verde é uma humilhação aos jovens futuros quadros desse país, os militares não tem nenhuma formação que lhes servirá como futuros profissionais, ou isso não chegaria a este ponto, caso dos graduados, no Sal algum tempo atrás eram os militares a darem “kasso-body”, sim a assaltar pessoas…Testes de aptidão ou psicotecnico não existem, se um gajo tem problemas mentais, descobre-se quando se matar ou matar alguém como tem vindo a acontecer, para não dizer que a maioria desses problemas e doenças, são apanhadas dentro dos quartéis, essa comida podre que servem aí não serve para alimentar nem porcos, os nossos jovens recrutas não deveriam aprender a consumir álcool, e drogas, mas sim preservar o nossa pátria.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.