Universidade Lusófona de Cabo Verde de luto pela perda do professor Dany

27/04/2016 15:28 - Modificado em 27/04/2016 15:28

dani4Caracterizado pelos amigos, alunos e colegas de trabalho como sendo uma pessoa simpática, prestativa, Danielton Monteiro é uma das vítimas do massacre que vitimou 11 pessoas no posto militar de Monte Tchota, na ilha de Santiago.

Como forma de homenagear o docente da Universidade Lusófona, amigos, colegas e familiares utilizaram a rede social Facebook de forma a demonstrarem a sua consternação com o sucedido e lembrar a pessoa, que foi brutalmente assassinada.

Lecciona na universidade Lusófona desde de 2007, Dani, como era conhecido fez uma legião de amigos, que o viam como uma grande pessoa e como afirma, um dos seus alunos “morreu o ser humano com o sorriso mais simpático”. Foi brutalmente tirada da sua família e deixou para trás mulher e dois filhos. Como foi confirmado, Dani tinha pedido uma licença de três meses para realizar um trabalho juntamente com dois técnicos espanhóis no Monte Tchota, que também foram mortos no local.

Ainda não se sabe em que circunstâncias os civis foram mortos e o porque deste crime hediondo, que tirou a vida de 11 pessoas.

A tristeza no meio familiar, amigos é desoladora

Os alunos da Universidade, que tiveram ou não a oportunidade de conviverem de perto com o professor, demonstram a sua tristeza pela sua morte. “Vou chorar porque não tenho outra forma de te chamar professor. Ensinava com todo o saber e tranquilidade”, escreve na sua página, a jornalista Dulcineia Morais.

Por seu lado, João Branco escreve que “morreu o homem com o mais belo sorriso do Mundo. Morreu por estar a trabalhar, no lugar errado, na hora errada. Adorado por todos no Mindelo, fui professor de teatro dele, acompanhei-o em várias montagens com o seu Atelier Teatrakacia, e convidei-o, por duas vezes, para tocar o seu clarinete ao vivo, em duas produções (“À Espera da Chuva” e “Bodas de Sangue”). Aos convites respondiam com o seu sorriso único, dizendo “n ka sabe s’un ta consegui”. E conseguia sempre. Hoje, no meio de uma tremenda tragédia, morreu o homem com o mais belo sorriso do mundo”.

Odaír Varela escreve, “adeus meu amigo Dani e companheiro na ISECMAR e Universidade Lusófona Cabo Verde. Muita dor para todas as famílias envolvidas nesse massacre de Monte Txota. Em Cabo Verde quando se ouve falar de crimes ou acidentes que envolvem tantas pessoas assim, a apreensão é que entre elas poderá ter alguém bem próximo.

Das 11 vítimas desses horrível massacre, um deles era meu amigo desde 2002, colega de turma no curso, colega como docente e colega de brincadeiras. Descansa em paz, “nha broda”.

A estupefacção é muito grande, apesar estar confirmada. “Ainda não acredito na tua partida, ainda mas dessa maneira tão trágica, quero acreditar que tudo é mentira e que não passa de um engano”.

A consternação é ainda maior pela forma como tudo aconteceu, a natureza bárbara dos crimes que deixaram o país inteiro em choque.

  1. Uni-Lusofona-Palhaça

    Homenagem que se impõe quando temos tristezas dessas!

    Mas não me esqueço da nossa Suely, aluna do curso de Serviço Social que nos deixou e ficou no anonimato para a Administração e Reitoria e Direcçao da ULCV!

    RIP Dany…RIP Suely!

  2. Victor Manuel Almeid

    Os meus Sentimentos de pesar Paz a sua alma e que terra seja leve,coragem

  3. Victor Manuel Almeid

    Os meus Sentimentos Paz a sua alma, coragem

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.