Mecânico clama por condições para fazer funcionar oficina de bate chapas

27/04/2016 08:32 - Modificado em 27/04/2016 08:32
| Comentários fechados em Mecânico clama por condições para fazer funcionar oficina de bate chapas

mecanicoO mecânico conhecido por Maiuka tem vindo a receber várias queixas por parte das pessoas que residem ao redor da sua oficina, actualmente instalada entre a Escola Valentina e o Restaurante Residencial Sodade. Isto por causa do barulho na sequência do trabalho de reparação de viaturas. Preocupado com a situação que reconhece ser constrangedora e ciente de que oficinas desta natureza não deveriam estar instaladas no centro da cidade, o mecânico que é pai e chefe de família, apela pela criação de condições para instalar a oficina de bate chapas que emprega cerca de dez funcionários.

O barulho das oficinas de bate chapas instaladas no centro da cidade e junto das residências tem vindo a perturbar o sossego das pessoas. Estas situações têm gerado um clima de descontentamento por parte da população que tem vindo a reivindicar a situação e que, apesar das constantes denúncias às autoridades competentes, nada tem sido feito para pôr cobro à situação.

Nhô Mário ou Maiuka como é conhecido no meio mindelense, é proprietário de uma oficina de bate chapas. O mecânico diz ter andado de zona em zona na ilha de São Vicente à procura de um espaço onde conseguir fazer o seu trabalho, única fonte de rendimento para sustentar a sua família.

Contudo, em nenhuma das zonas onde esteve a trabalhar conseguiu ter sossego uma vez que os vizinhos se sentiam incomodados com o barulho. Assim sendo, foi obrigado a procurar outro sítio para trabalhar. Na falta de um espaço específico para esse tipo de trabalho, é obrigado a ocupar espaços abertos, perto das residências, situação que tem levado os vizinhos a reclamarem.

Há cerca de dois meses que Maiuka conseguiu instalar a oficina num quintal situado entre a Escola Valentina e o Restaurante/Residencial Sodade. A situação repete-se: os vizinhos mostram-se descontentes e ele é obrigado a procurar outro sítio para trabalhar.

Segundo o mecânico, os serviços de Fiscalização da Câmara de São Vicente visitaram o espaço e alertaram-no que deverá receber nos próximos dias uma notificação, mas até agora não recebeu qualquer documento.

O Código de Postura Municipal diz que é proibida a instalação de oficinas de mecânica no centro da cidade. O facto é que a ilha não dispõe de qualquer local específico para estes tipos de trabalho, o que tem lesado os profissionais desta área.

Segundo o entrevistado, há vários anos que aguarda por uma resposta da Câmara Municipal de São Vicente que o obrigou a fechar as portas prometendo um terreno para instalar a oficina. No entanto, tal nunca aconteceu. Quanto às reivindicações dos vizinhos e do encerramento da oficina, Maiuka apela à Câmara Municipal de São Vicente que crie condições para poder realizar o seu trabalho sem ter de prejudicar a população.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.