Jovem que assaltou idoso diz-se arrependido e pede pena leve

25/04/2016 08:07 - Modificado em 25/04/2016 08:07

assaltoEm Novembro último, o arguido conhecido por ”Tito”, assaltou um idoso de 80 anos nas imediações do BCA, zona de Monte Sossego, tendo-lhe roubado usando à força física um envelope com 25 mil escudos que trazia dentro do bolso. O mesmo terá sido perseguido por um agente prisional que ajudou a Polícia a detê-lo. O jovem Aristides ,de 31 anos,  foi presente ao 1º Juiz do Tribunal de São Vicente, acusado da prática de crimes de roubo e de furto. O arguido que já cumpriu pena de prisão por várias vezes, diz-se arrependido e pediu ao Juiz que lhe aplicasse uma pena leve, pois quer voltar a inserir-se na sociedade.

O arguido Aristides, “Tito”, encontra-se em prisão preventiva desde a data dos factos. De forma livre e espontânea, o mesmo assumiu perante o 1º Juiz Crime os crimes a ele imputados. Afirmou que avistou o idoso a contar dinheiro nas imediações do BCA e que colocou um envelope no bolso.

De forma serena e tranquila, o arguido assumiu perante o Juiz que se aproximou do idoso tendo-lhe dito para ir responder a uma pessoa ali no banco. Assim sendo, aproveitou e meteu-lhe as mãos no bolso, retirando-lhe o envelope com uma certa quantia. O mesmo nega ter agredido o idoso.

De acordo com os autos e com as declarações do agente prisional que terá perseguido o arguido e ajudado a Polícia a deter o meliante, o arguido terá agredido o idoso com uma rasteira.

O arguido ainda responde por outros crimes de furto. Os autos dão conta que em Setembro de 2015, por volta das 12 horas, no centro da cidade, o este entrou numa residência de um idoso de 90 anos, tendo agredido o morador e roubado objectos dessa residência. O arguido assume ter entrado nessa residência cuja porta se encontrava entreaberta à procura de objectos para roubar, mas nega ter agredido o idoso, uma vez que parecia “muito frágil”.

A confissão do arguido  foi tão clara que não mereceu alegações por parte do Ministério Público nem da própria defesa que se consideram esclarecidos. Depois de cumprir pena de prisão por várias vezes, Tito que se diz arrependido pelos males causados às vítimas, pediu ao juiz que fosse condenado pelos seus actos, mas que seja uma pena leve para poder regressar à sociedade de forma a se integrar.

Depois da confissão e do arrependimento, resta agora ao juiz decidir o veredicto final que deverá acontecer no dia 04 de Maio.

  1. neves

    “pena leve para poder regressar a sociedade”,,, hmmm, ok!!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.