UCID acha que a estrutura do governo não é funcional

13/04/2016 08:04 - Modificado em 13/04/2016 08:04

Antonio-MonteiroO líder da UCID, António Monteiro, reagiu esta terça-feira em conferência de imprensa em relação à composição do novo Governo saído das eleições de 20 de Março. Apesar de “receber com agrado a redução dos ministros”, a UCID mostra-se preocupada com os Ministérios da Economia, do Trabalho, Solidariedade e Apoio Social, o Ministério dos Negócios Estrangeiros e ainda o Ministério da Defesa. Monteiro acredita que estes ministérios carecem de suportes políticos.

Em relação à formação do novo Governo liderado por Ulisses Correia e Silva, António Monteiro faz uma avaliação positiva dos nomes escolhidos para constituir o Governo e diz que o seu partido está satisfeito com a redução dos ministérios.

Contudo, o líder da UCID coloca várias preocupações quanto ao Ministério da Economia uma vez que dispõe de uma única pessoa para coordenar um vasto leque de actividades económicas para um mistério fundamental para o crescimento económico do País. Monteiro entende que com mais um ou dois Secretários de Estado neste ministério, haveria um governo com maior capacidade de resolver questões económicas, logo, maior capacidade para gerar emprego.

No entender da UCID, a dispersão do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Apoio Social, em vários ministérios “poderá criar obstáculos na organização e na satisfação das necessidades que em termos sociais o País apresenta”.

Ainda em relação aos Ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Defesa, António Monteiro considera haver “incongruência que poderá não ajudar nas decisões que deverão ser tomadas a tempo e horas”, uma vez que parece ser insuficiente apenas uma pessoa para desempenhar essas funções fora e dentro do País.

Trata-se de dois ministérios extremamente importantes pelo que o mesmo entende que o Ministério dos Negócios Estrangeiros exige e solicita a permanência do cidadão que o tutela fora do País em vários momentos e, por sua vez, o Ministério da Defesa também exige que este deverá estar no País para poder coordenar da melhor forma.

Monteiro acredita que com o analisar da situação do País, Ulisses Correia e Silva, Primeiro-Ministro indigitado, tome medidas para que aquilo que foi prometido durante a campanha eleitoral seja atingido a bem da população e de Cabo Verde.

  1. Monteiro depois de Campanha, está muito preocupado porque será? Dizer ao Engº que o Governo ainda não tomou posse para estar funcional, a precipitação da oposição já
    é tanta que a gente não sabe qual o motivo, perderam as eleições e Ulisses ganhou, portanto deixem o Governo tomar posse e trabalhar ou seja deixam O 1º Ministro trabalhar, o mandato é de 5 anos

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.