Isaac torna-se furacão de nível 1 ao aproximar-se de Nova Orleães

29/08/2012 09:00 - Modificado em 29/08/2012 09:00
| Comentários fechados em Isaac torna-se furacão de nível 1 ao aproximar-se de Nova Orleães

Com ventos de 120 quilómetros por hora, a tempestade Issac tornou-se num furacão de nível um ao aproximar-se de Nova Orleães, que há sete anos foi devastada pelo Katrina.

 

O nível 1 é o primeiro da escala Saffir-Simpson, que vai até 5, o valor atribuído aos furacões de maior intensidade. Há sete anos o Katrina atingiu o nível 3, as autoridades já tinham previsto que o Isaac ganharia força ao aproximar-se do Luisiana, no Sul dos EUA.

 

“Segundo as informações recolhidas, o Isaac atingiu o estatuto de furação”, noticiou o Centro Nacional de furacões norte-americano. Os ventos chegam aos 120 quilómetros por hora à medida que o furacão de aproxima de Nova Orleães.

 

O Presidente norte-americano apelou aos habitantes da região para “levar a sério” e Isaac e tomarem precauções. O furacão, disse Barack Obama, deverá “provocar graves inundações e outros danos numa vasta zona” da costa no Sul dos Estados Unidos.

 

No Haiti a tempestade causou 19 mortos no sábado e seis pessoas estão ainda desaparecidas. O Isaac levou também ao adiamento, por um dia, da convenção do Partido Republicano na Florida, onde Mitt Romney será oficialmente declarado candidato do partido à Casa Branca.

 

Em Nova Orleães está ainda bem presente a memória do Katrina, que foi uma das maiores catástrofes naturais nos EUA, tendo causado cerca de 1800 mortos.

 

“Encorajo todos os habitantes da costa do Golfo do México a ouvirem as autoridades locais e a seguirem os seus conselhos”, disse Obama, referindo-se a possíveis ordens de evacuação. Pelas 11h20 locais, já 16h20 em Lisboa, o furacão encontrava-se a cerca de 250 quilómetros a sudoeste de Nova Orleães.

 

O estado de emergência já foi decretado no Luisiana, mas também no Mississípi e Alabama. Na última noite, o Isaac obrigou a que cerca de 78% da produção de petróleo e 48% da produção de gás natural no Golfo do México fosse suspensa e que seis refinarias encerrassem, em antecipação da chegada da tempestade. A suspensão de produção representa 1,08 mil milhões de barris de petróleo bruto por dia.

 

 

 

 

 

pub.pt

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.