JMN diz que governou bem, mas o povo quis a mudança

6/04/2016 08:44 - Modificado em 6/04/2016 08:44

jmnPara José Maria Neves o desgaste dos quinze anos de governação do PAICV deve ser tido como um dos factores preponderantes para a derrota do partido nas últimas eleições legislativas. Em entrevista no programa da RCV, Discurso Directo, o Primeiro-ministro cessante fez a leitura das últimas eleições no País e os factores que levaram à troca de partido na governação. Em resumo JMN diz que governou bem, mas o povo quis mudar porque “um desgaste dos quinze anos de governação e num país pequeno com escassez de recursos, governar Cabo Verde quinze anos acaba por acarretar um desgaste natural para quem esteja a governar e, consequentemente, um desejo de mudança”.

O desgaste governamental não é o único motivo apontado por Neves. A lista do que “não correu bem ao PAICV” inclui causas como a organização das listas, a organização da campanha e a comunicação política. E na questão da comunicação política, reconhece uma melhor prestação do MpD neste aspecto. “Fundamentalmente, ganha as eleições quem consegue impor um sentido, através de uma eficaz comunicação política e há que convir  que o MpD concebeu uma comunicação política muito forte, acabando por levar os cabo-verdianos a optarem pela mudança”.

No dia anterior a esta entrevista, o Coordenador do partido em São Vicente tinha feito a análise da derrota do PAICV. E, neste aspecto, falou de algumas decisões governamentais que poderão ter ditado a derrota do PAICV.

Comentando as afirmações do líder do PAICV em São Vicente, José Maria classificou as declarações como apenas mais uma opinião. “Há que ter respeito. Em democracia temos de respeitar as opiniões. As causas devem ser analisadas e haverá muitas opiniões num mundo democrático plural”.

O balanço dos quinze anos de governação por parte de Neves é francamente positivo. “Neste momento, deveríamos mudar porque o MpD tem melhores condições para enfrentar os desafios de hoje. O MpD propõe a empresarialização do sector agrícola, o desenvolvimento da agricultura e da pecuária e só pode fazer isto porque há grandes investimentos nas barragens”.

  1. Manuel Joaquim

    Ah camarada!
    Ficou demonstrado que 10 anos no poder é demais “qui fare 15”. Desde a escolha do nome para o “Aeroporto da Praia”, presidenciais, sua substituição na presidência do PAICV, todo o processo Vulçao/Chão das Caldeiras, caso Vicente, a ministra cantando de galo no quintai das Finanças, a taxa ecológica, varias nomeações de compadrio para determinadas instituições, anel rodoviário do Fogo, mais uma serie de negociatas, foi o entrar pela via errada, em contramão na auto estrada que terminou no 20 Março. Não entendo a sua ideologia politica de ter governado bem? Governou para QUEM? Para os boys? Para os compadres? Para o seu quintal?
    Voltou a aprender que quem vota, quem escolhe é o POVÂO e sem o voto do POVAO, ficamos sabendo quem é quem. Nós já sabíamos que os politicos ca da terra, com mais tempo de governação, mais desaprendem, sentem-se que nem macacos na rubera. Aconteceu em 1991/2001, foi é em 2001/16. Se o camarada UCS também escolher andar na CONTRAMÃO, a ESPADA DE DAMOCLES, está sedenta de sangue. Cortamos a cabeça ao camarada CVeiga, cortamos a cabeça ao camarada JMNeves. Esperamos que depois desta saga, UCS demonstre ter mais TUTANO que esses dois que já foram. O governante é escolhido para governar para o povo e não para engordaralgo que não se chame povo. UCS diz que o índice de governação será medido pela FELICIDADE DO POVO. Gostei desta e desejo-lhe uma boa condução defensiva e que evite entradas que podemleva-lo a CONTRAMÃO.

  2. Silvério Marques

    Outra vez o Primeiro Ministro cessante traz á tona o assunto das barragens. Ele vai deixar o poder sem explicar coisas fundamentais, como, qual foi o aumento da área irrigada com a construção das barragens, qual o preço da água de rega vinda das barragens, qual a razão porque os agricultores da zona da barragem de Poilão não pagam a água. Porque não têm os rendimentos que obtêm com a utilização da água não dá para pagar ou porque não querem mesmo pagar.

  3. arrogancia

    Vai e leve o nepotista e oportunista de inocencio que foi seu marca registrada de seu “desgaste” . O Dinhero não faz milagre!!!

  4. Fernando Fortes

    O Camarada Zé, então o povo é parvo.
    Você governa, bem, o povo está feliz e mesmo assim ele quer mudança, mesmo que seja para algo desconhecido.
    Tenha dó, homem.
    O governo acabou na rua, com um desempenho sofrível.
    Finanças com 8
    Saúde com 8
    Educação 9
    Emprego 7
    Você acha que o povo não soube avaliar o seu desempenho?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.