Fogo: Gabinete de Reconstrução não paga aos guardas que guardam donativos

5/04/2016 08:35 - Modificado em 5/04/2016 08:35

dinheiroOs guardas contratados pela protecção civil do Fogo para tomarem conta dos apoios dos deslocados de Chã das Caldeiras armazenados no Porto de Vale dos Cavaleiros, em São Filipe, reclamam três meses de salários em atraso.

Lenine Pina, porta-voz dos guardas disse à RCV, que para além dos três meses de salários em atraso ainda existe a questão das férias, nomeadamente, um acordo para a venda de férias cujo documento ainda não foi entregue, porque o Coordenador do Gabinete de Reconstrução do Fogo nunca está no seu posto de trabalho.

O porta-voz do grupo disse que como não foi possível terem férias, fizeram um acordo para a venda das mesmas, chegando até a entregar o documento na Câmara Municipal, que ficou na posse da secretária para que o mesmo fosse entregue a Alindo Brandão mas não tiveram resposta, souberam pela secretária que este disse não ter recebido nenhum documento, porque trabalha no Gabinete de Reconstrução do Fogo. No entanto, nunca está presente no seu local de trabalho e não sabem o que fazer para resolver esta situação.

Apontam o seu descontentamento pela forma como estão a ser tratados pelo Coordenador do Gabinete de Reconstrução no Fogo e também pelos compromissos que não conseguem resolver, devido ao impasse em que se encontram neste momento.

“Estamos a aguentar o máximo que conseguimos, mas também temos compromissos e não nos dão qualquer satisfação. Desde que começámos a trabalhar aqui ele nunca mostrou nenhum interesse em saber o que se passa”.

O Coordenador do Gabinete de Reconstrução do Fogo, Alindo Brandão garantiu à RCV que a situação deverá ser resolvida nos próximos dias, prometendo entretanto uma reacção para os devidos esclarecimentos.

  1. Monteiro

    Pergunta aso burro do fogo que votaram no paicv.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.