Fuga massiva de informação revela escândalo de corrupção mundial

4/04/2016 11:37 - Modificado em 4/04/2016 11:37

lavagem de dinheiroUma fuga de informação revelou um esquema de enriquecimento ilícito e lavagem de dinheiro que envolve chefes de Estado, banqueiros e celebridades internacionais que usaram paraísos fiscais para esconder dinheiro e património.

A informação foi revelada, este domingo, pelo The Guardian, a partir de documentos obtidos pelo jornal alemão Suddeutsche Zeitung e um consórcio internacional e envolve 11,5 milhões de documentos intituladosPanama Papers, já que estes têm origem no Panamá.

Entre os muito visados está Vladimir Putin, presidente da Rússia, cujo nome terá sido utilizado para o enriquecimento dos seus amigos, e de outros 12 antigos e atuais líderes de Estado. Além de Putin, são também citados os nomes dos chefes de Estado da Islândia, Paquistão e Ucrânia, bem como o de Lionel Messi, o do presidente da Argentina e o do cineasta espanhol Pedro Almodóvar.

Os documentos tornados públicos a partir da empresa Mossack Fonseca & Co, um escritório de advocacia com sede no Panamá, e revelam o esquema para lavagem de dinheiro e evasão fiscal.

abola.pt

  1. Clara Medina

    A minha pergunta é se os jornais cabo-verdianos estão envolvidos na investigação do escândalo fiscal “Panamá Papers”.
    Dada as enormes ajudas internacionais que Cabo Verde recebeu após a independência e atendendo a uma exibição pornografica de riqueza, em muitos casos de origem duvidosa, por uma elite política e não só, num País pobre e cujo desenvolvimento não atinge o nível que tais ajudas justificavam, o cidadão comum tem as suas dúvidas.
    Seria um serviço importante que o jornal A Semana nos informasse se os políticos cabo-verdianos bem assim como outros responsáveis na gerência dos parcos recursos deste País estão envolvidos nesta máfia financeira internacional.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.