BCV revê em baixa crescimento da economia em 2016

4/04/2016 01:51 - Modificado em 4/04/2016 01:51
| Comentários fechados em BCV revê em baixa crescimento da economia em 2016

EscudosescudosA economia cabo-verdiana deverá registar um crescimento entre 1,5 e 2,5% em 2016, projetou hoje o Banco de Cabo Verde (BCV), que revê em baixa a estimativa de crescimento traçada em dezembro de 2,5 a 3,5%.

De acordo com o Relatório da Política Monetária divulgado hoje pelo BCV, a economia cabo-verdiana deverá crescer este ano devido, entre outros fatores, ao arranque de importantes empreendimentos financiados pelos investimentos direto estrangeiro, melhoria do balanço dos bancos e dos impactos das medidas de política monetária aplicadas desde maio de 2013.

Entretanto, o banco central reviu em baixa a estimativa de crescimento que tinha traçado em dezembro do ano passado, entre os 2,5 e 3,5%.

O BCV explica a perspetiva de menor crescimento económico com “os desenvolvimentos macrofinanceiros recentes internos e internacionais, num contexto de aumento de incertezas”.

Entre as incertezas o BCV indica a atual projeção das exportações de bens e serviços, a evolução da procura externa devido, entre outros fatores, à epidemia do vírus Zika e aos desenvolvimentos recentes no setor dos transportes aéreos, com problemas na TACV.

Já a inflação média anual deverá situar-se entre zero e 1% em 2016, prevê o BCV.

“A projeção da inflação foi revista em baixa, em função da revisão das expectativas de evolução dos preços das matérias-primas nos mercados internacionais, bem como dos preços no consumidor e no produtor dos principais parceiros comerciais do país”, explicou o banco central cabo-verdiano, que prevê ainda uma “contínua descida dos preços dos produtos agrícolas”.

O BCV sublinha que os riscos para estas projeções se concretizarem são “descendentes”, estando relacionados principalmente com a probabilidade de uma evolução aquém do esperado da procura externa e de um agravamento da confiança dos consumidores.

“Eventuais constrangimentos administrativos, decorrentes dos processos eleitorais de 2016, constituem igualmente um risco à execução prevista dos empreendimentos financiados com investimento direto estrangeiro”, lê-se no relatório.

Segundo dados divulgados quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), a economia cabo-verdiana cresceu 1,5% em 2015, tendo no quarto trimestre registado um aumento de 3,2%.

Lusa

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.