Veiga não fará parte do Governo de Ulisses

4/04/2016 01:49 - Modificado em 4/04/2016 01:49

carlos veigaPara pessoas do círculo de Carlos Veiga a notícia do jornal  A Nação dando como certa a sua entrada no governo que vai ser liderado por Ulisses Correia e Silva  “até para uma mentira de 1 de Abril é um exagero”. Mas não se admiram de ter sido publicada por um “jornal que entre outras barbaridades chegou a escrever que o desaparecido navio Roterdão tinha sido localizado e que estava a caminho de Cabo Verde”. Dizem que Veiga, que se encontra em Timor Leste, não se vai dar ao trabalho nem de desmentir.

O certo é que consideram que certos sectores do PAICV “continuam usando determinados meios de comunicação social, que lhe são afectos, para tentar colocar Veiga numa luta pelo poder e por cargos dentro do MpD na qual ele não está, não esteve, nem quer estar”. Lembram que na altura da formação das listas colocaram Veiga no meio de uma disputa por lugares que ele não pediu , não quis e  não participou”. O que na altura levou o presidente do MpD, Ulisses Correia e Silva, a dizer que o estavam a tentar fazer com Carlos Veiga “era uma atrocidade”.

E é sabido que Veiga se colocou a disposição do presidente para participar na campanha onde fosse necessário. E fez porta a porta, batalhou, como militante onde foi preciso, por isso o líder do MpD estranhou essa tentativa de colocar Veiga em cenários que ele não está e nem quer estar.

Mas para dirigentes do MpD ouvidos pelo NN “a tentativa de colocar Veiga, Zé Tomás  e Eurico Monteiro no governo é uma forma de tentar  limitar as escolhas de Ulisses e acima de tudo lançar a desconfiança nas hostes ventoinhas. E por outro lado fragilizar os jovens quadros do MpD que estão prontos para assumir responsabilidades governativas”. A nossa fonte termina dizendo “o PAICV por portas e travessas quer constituir o  governo de Ulisses”.

O jornaliberal.com avança que “A Nação” se deitara a adivinhar, esbarrando com o nariz na parede, foi confirmado a “Liberal” por fontes – estas fidedignas – do MpD: “os nomes referidos nem sequer foram ponderados para uma abordagem dessas, até porque os três sempre manifestaram não ter qualquer intenção de integrar os próximos Governos”.

  1. neigaz

    graças a deus, uffffff

  2. Fernando Fortes

    Seria um erro grave o UCS, chamar para o seu governo,Veiga ou gente do Veiga.
    Também seria desastrosos repetir ministros, que acabaram em conflito ou em falta de lealdade.~
    Quando vi a noticias, não dei credibilidade nenhuma.
    Jamais o José Tomás participaria num governo, a não ser qie fosse de salvação nacional.
    O homem é uma pessoa especial.Não faz parte da trupe dos Veiguistas( gente que se diz seguir Veiga).Ele está muito acima do Veiga em política.

    Outra questão é que o UCS, ganhou as suas eleições com total credibilidade pessoal.~Ele não vai nem pode viver na sombra de ninguém.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.