Internautas consideram que o amadorismo está de volta a selecção nacional

31/03/2016 08:30 - Modificado em 31/03/2016 08:30
| Comentários fechados em Internautas consideram que o amadorismo está de volta a selecção nacional

tubaroesDepois da alegria alcançada pela selecção ao subir ao número um de África, segundo o ranking da FIFA, as duas derrotas dos “Tubarões Azuis” frente a Marrocos e que condicionaram o acesso ao CAN 2017 no Gabão, deixaram os adeptos frustrados não somente com a derrota, mas também com o nível do futebol exibido nas duas partidas.

O último caso dentro da selecção nacional foi a rescisão do ex-treinador Rui Águas situação que, um tanto inesperada, pode ter deixado mazelas. Depois deste contratempo, a Federação promoveu Felisberto Cardoso “Beto” ao cargo de treinador. Nas redes sociais, nos fóruns desportivos e nas entrevistas realizadas pelo NN muitos questionam a actual forma da selecção e o futuro da mesma, em termos de resultados.

Manuel dos Santos diz que não reconheceu a selecção nos dois jogos. “Foi difícil acreditar que era Cabo Verde a jogar depois de nos ter acostumado com um futebol bonito, de ataque, de posse de bola. Mal tínhamos a bola, ela era roubada”. Manuel dos Santos não foi o único a ficar perplexo com a forma de jogar da selecção. Marcos Neves afirma que foram dois jogos sofridos pelos amantes dos “Tubarões Azuis”. “Ver Cabo Verde a jogar foi um bocadinho duro, mas espero que as coisas possam melhorar e que ainda seja possível conseguir ir ao CAN”.

A actuação do árbitro do último encontro com Marrocos, Mahamadou Keita, esteve sob duras críticas dos cabo-verdianos. Mesmo que a actuação do árbitro não tenha sido feliz, Rogério Santos adianta que o árbitro pode ter tido alguma influência mas que em muitas situações, Cabo Verde não conseguiu mesmo explorar o seu futebol, como fazia nos últimos jogos.

Na rede social Facebook um dos utilizadores da rede revela a sua frustração aquando da exibição cabo-verdiana. “Se os jogos contra Marrocos respectivamente nesta noite e no sábado passado foram representativos do futebol das nossas ilhas e se é este o nível do actual número 1 do ranking da FIFA na plataforma do futebol africano, estamos tramados em termos futebolísticos no nosso continente. Ou será que foi uma simples demonstração da crise de gestão e da falta de qualidade e amadorismo reinante na organização fora e dentro do rectângulo do desporto-rei em Cabo Verde?”.

Numa visão mais apocalíptica dos utilizadores da rede Facebook, os mesmos prevêem uma descida abismal dos “Tubarões Azuis” no ranking da FIFA, o que pode ser prejudicial para a selecção aquando do sorteio para o Mundial de 2018. É que a descida no ranking pode fazer com que saia do pote 1 e acabe por ter de ir para a qualificação com alguns tubarões do continente.

Mas há quem defenda a selecção nacional, apesar de admitir que foram duas exibições abaixo da média. “Acho que fomos infelizes nos jogos e a mudança de treinador, ainda por cima da forma como aconteceu, pode ter essas consequências”, sublinha Bruno Silva.

Mas, apesar das críticas, as palavras “força Tubarões Azuis”, “estamos juntos”, nô te acredita (nós acreditamos) são palavras de incentivo que mostram que os adeptos, apesar de tristes pelo resultado, ainda alimentam a esperança de ver Cabo Verde na próxima fase final do CAN no Gabão.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.