Stress na Administração Pública: o chefe que se segue, este já era!

28/03/2016 08:16 - Modificado em 28/03/2016 08:16

stressUma semana após se saber que o MpD foi o vencedor das eleições legislativas muitos sectores da administração pública entraram num tipo de stress pôs eleitoral. Isto porque é previsível, como aconteceu no passado, que a maioria das chefias da administração pública, em particular os institutos e as empresas estatais, serão substituídas.

Foi assim em 1991 quando o MpD chegado ao poder colocou na prática a tese do ex- trokista Eugênio Inocêncio, Duda, conhecida como “ternura pelo inimigo” que varreu do aparelho do Estado tudo o que cheirara ou se assemelhava ao PAICV. Em 2001 José Maria Neves prometia despartidarizar o aparelho, mas  acabou por ser o patrono dos boys and girls que assumiram os jobs e assim substituir os conselheiros populares do MpD por comissários políticos, a moda bolchevique, que passaram a controlar a administração pública e arredores. A prova foi ver os seus administradores e presidentes de conselhos de administração dos institutos e empresas públicas vestidos  de amarelo na campanha eleitoral lutando pelo seu partido, outros diriam lutando pelos seus tachos. E é esta administração pública partidarizada, de novo, que entrou em stress  e alguns em choque  com a vitória do MpD. Isto quando se sabe que muitos funcionários não votaram somente contra o partido que estava no poder, mas, sobretudo, contra os chefes do partido no poder que acham que são a causa dos seus dissabores e que agora querem lhes ver pelas costas, pois acreditam que a mudança vai passar pelos seus chefes. E por isso sãos os primeiros a pedir que “rolem cabeças”. Ainda não se sabe o que Ulisees Correia e Silva, um liberal de centro direita e que se recusou a fazer a “caça as bruxas” quando assumiu a presidência da Câmara Municipal da Praia, vai fazer. Mas vários sectores do MpD já sabem o que se deve fazer. Melhor: o que acham que é melhor. E o melhor passa por “fazer a limpeza dos comissários políticos estrategicamente colocados pelo PAICV. Assim como está não pode continuar”. Diz uma simpatizante do MpD afastada de um cargo de chefia em 2001, porque era  “amiga de líderes do MpD “. Defende que “o PAICV tem a administração pública armadilhada, principalmente nos institutos públicos e o novo governo sabe que não pode executar as suas políticas com dirigentes que não estiveram ao serviço público, mas do seu partido”. E aqui coloca-se a questão: despartidarizar e partidarizar como os do MpD? Um deputado e dirigente do MpD, que pede anonimato, defende que “não se trata de partidarizar, mas colocar gente de confiança para gerir a transição. Depois privilegiar a competência e não a confiança política como factor para aceder aos cargos de chefia na administração pública”.

A procissão ainda só vai o adro, mas as ventoinhas, principalmente as loucas, já giram pedindo as “cabeças dos comissários políticos” e afins. Ulisses Correia Silva deve ter neste momento outros assuntos mais urgentes, como a formação do governo para se preocupar. Mas como um político da área liberal sabe onde reside o poder na administração pública.

  1. UCIDISTA

    NÃO É SOMENTE OS MILITANTES DO MPD QUE ESTÃO A PEDIR A CABEÇA DOS DIRIGENTES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, INSTITUTOS E AGÊNCIAS. MESMO OS DO PAI, DA UCID E DA SOCIEDADE CIVIL. ESTÃO SOMENTE INCOMPETENTES, IGNIRANTES E PERSEGUIDORES NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. ESPERO QUE O DR. ULISSES TENHA CORAGEM DE VARRER TODA ESSA ESCUMALHA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. CONTARAM-ME QUE NA AGENCIA MARÍTIMA É UM AUTENTICO DESCARAMENTO. ADMINISTRADORES QUE QUEREM SER QUADROS E ESTÃO A FAZER NOMEAÇÕES A TORTO E A DIREITO.

  2. Joana Inês Sá

    Interessante! esqueceu-se o articulista de dizer que o PAICV, que não brinca em serviço, com a colocação dos seus boys, até substitui condutores e pessoal de limpeza, quando no poder. Pergunte a todos os chefões e chefinhos, nets país, qual a filiação partidária?…surpresa nenhuma.! Assim tem actuado o PAICV. Condição para o jovem ter emprego é filiar-se… Vamos ser honestos!

  3. profamina

    Mauzinho. Desta forma a meter medos aos chefões de bons carros, bons salários, muuiitas viagens, magníficas ajudas de custo, subsídio de férias, décimo terceiro mês, subsídios para telemóveis de luxo e combustível. Não! Não é bom meter medo às pessoas, embora todos saibam que vão conghecer um bocado de mel de “canhato”. É assim. Sobe-se, sobe-se, e na queda é só ver.

  4. Alguém há-de pagar com as nomeações fora de tempo. Brevemente o novo Governo fará da sua justiça.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.