Praia: Igreja da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus em Vila Nova foi profanada

23/03/2016 08:28 - Modificado em 23/03/2016 08:28

Igreja Vila Nova PraiaA madrugada desta terça-feira 22 foi de muita tristeza para os fiéis da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, em Vila Nova, cidade da Praia. O sacrário foi, mais uma vez, profanado, violado por assaltantes. Os meliantes roubaram o aparelho de som, mesas, amplificadores, microfones, fios, uma viola eléctrica. Ao NN, Dom Arlindo Furtado, Bispo da Diocese de Santiago, considerou com grande tristeza o que aconteceu na igreja, pois desde 1977 até hoje, nunca descobriram os autores dos crimes de profanação na Igreja e a impunidade é um estímulo para se continuar a praticar o crime. Por isso, apela às autoridades para se empenharem pois o que aconteceu mais uma vez, não faz mal apenas à Igreja mas à sociedade em geral.

Os fiéis da Igreja Católica foram, mais uma vez, feridos naquilo que lhes é mais sagrado. Uma vez mais a Igreja foi profanada e os autores do crime continuam a monte. Os assaltantes profanaram o sacrário onde se colocam as hóstias consagradas e roubaram todo o equipamento de som que ali se encontrava.

Em menos de um mês e meio a Igreja Católica é, de novo, atacada por assaltantes. Primeiro a Igreja de Santa Catarina, Calheta, e esta madrugada de terça-feira, a Igreja de Vila Nova que se encontra em obras. Segundo o pároco da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, José Eduardo, provavelmente os assaltantes poderão ter aproveitado da fraca segurança da igreja tendo em conta que ainda está em fase de construção, para terem acesso ao local.

O pároco que repudia o comportamento dos assaltantes, acredita que foi um acto pré meditado o que considera “uma falta de respeito gravíssimo ao Sagrado” que mancha a igreja e o País. “Fomos feridos no coração, mas mesmo assim, devemo-nos levantar e continuar o trabalho que no meio de tanta perseguição conseguiremos vencer”.

O Cardeal e Bispo Dom Arlindo Furtado que se encontrava na Igreja de Vila Nova lamenta a situação e apela por uma maior atenção por parte das autoridades, pois desde 1977, nunca descobriram os autores dos crimes que ficaram impunes. Para D. Arlindo, a impunidade é um estímulo para continuar a praticar o crime e desafia as autoridades a empenharem-se mais.

Para além da delinquência e dos crimes, D. Arlindo acredita que poderá haver outras coisas por detrás, uma vez que a Igreja está numa fase de crescimento o que poderá desagradar a certos grupos. Contudo, o caso está a ser tratado pela Polícia Judiciária e a Igreja espera que, desta vez, seja feita justiça, muito embora a Igreja não condene o autor mas o acto e responsabiliza a pessoa. Por isso, apela aos fiéis para não terem sinais ou expressões de vingança.

Por volta das 18 horas fez-se uma manifestação pública onde o Bispo Dom Arlindo repôs o sacrário no seu devido lugar.

  1. Joana Inês Sá

    Terá sido a vingança daqueles sujeitos corruptores de consciências e compradores de votos? Que raivosos ficaram com o apelo da Igreja sobre o assunto?…Quem sabe?

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.