Apesar do primeiro caso suspeito de microcefalia, os casos de Zika diminuíram

19/03/2016 18:20 - Modificado em 20/03/2016 00:51
| Comentários fechados em Apesar do primeiro caso suspeito de microcefalia, os casos de Zika diminuíram

zikaA Ministra da Saúde, Cristina Fontes, anunciou que em Cabo Verde na cidade da Praia, registou-se o primeiro caso de microcefalia que poderá estar associado ao vírus Zika. O Ministério da Saúde adianta que estão registadas 165 grávidas com suspeita de infecção por vírus Zika e que até esta segunda-feira foram realizados 44 partos sem sintomas de microcefalia.

“Há um caso notificado de microcefalia que queremos agora investigar para poder verificar se há esta ligação com a infecção por vírus Zika”, diz a Ministra da Saúde de acordo com a Inforpress. Cristina Fontes acrescenta que a Organização Mundial da Saúde já foi notificada e ainda assegura que foram enviadas amostras recolhidas da mãe e do recém-nascido para o Instituto Pasteur, em Dacar, para confirmação laboratorial.

O bebé suspeito de microcefalia nasceu a 14 de Março e será seguido em consultas de pediatria e de neuropediatria, afirma o Director Nacional da Saúde, Tomás Valdez. O mesmo acrescenta que a criança também será seguida por outras especialidades com o objectivo de estimular precocemente o desenvolvimento de alguma capacidade e autonomia básica.

O Ministério da Saúde assegura que apesar da possibilidade do primeiro registo da microcefalia derivado do Zika, ainda se considera que há uma evolução “favorável” em Cabo Verde, uma vez que desde o mês de Outubro os casos diminuíram. Contudo, em Santiago e São Filipe, no Fogo, estão-se a notificar alguns casos suspeitos. Nas ilhas do Maio e da Boa Vista não há nenhum registo e nenhum caso no Norte do País.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.