João Gomes: “As promessas da candidata ao governo não são para levar a sério”

6/03/2016 14:47 - Modificado em 6/03/2016 14:47

joão gomesComício do MPD em Fonte Filipe foi  marcado por discursos críticos á governação do PAICV , do cabeça de lista do MPD, João Gomes e Humberto Lélis ex-vereador do desporto e cultura da CMSV.
O MPD utilizou o jogo Sporting-Benfica, como estratégia para o seu comício festa em Fonte Filipe, com a transmissão em tela gigante do jogo.

João Gomes acredita que a população de São Vicente “´tem a sensatez” necessária para não se deixar enganar outra vez. Isto segundo o líder do partido em São Vicente, votar na candidata do partido que está no governo é votar no passado e também votar numa pessoa com oito anos de Governo, e que assumiu em São Vicente que o seu governo não deu a São Vicente a atenção merecida.
“Votar na candidata do PAICV é votar em alguém que durante oito anos foi responsável por duas áreas importantes de Cabo Verde: juventude e emprego e falhou redondamente em ambos. Ela esqueceu a juventude e em relação ao emprego não criou nada”, afirma categoricamente João Gomes que diz igualmente que a candidata do partido no governo demonstrou “claramente” que não só se esqueceu dos jovens como também não têm solução para eles.
Gomes relembra ainda o episódio protagonizado pela ex-ministra da juventude, em Santiago, onde disse aos jovens que como não têm solução para eles, a solução é vender canja e pastel.
Para qualquer cidadão que tenha aspirações para ser primeiro-ministro de Cabo Verde, continuou o cabeça de lista do partido, deve pensar duas vezes naquilo que quer dizer e nas propostas que faz aos jovens. Porque isso pode ser visto como um insulto e desencorajamento.
“MPD não quer vencer estas eleições a todo o custo, quer vencer porque acha que merece a confiança do povo”. Reitera.
Relembra ainda diversas as promessas que não foram cumpridas, citando alguns como o 13º mês, a construção de casa para todos, que não é para todos, a promessa de construção em São Vicente de um porto de águas profundas, e também investimentos na Cabnave e no parque industrial em Lazareto, criação de um centro de logísticas de transporte.
Para Gomes chegou a hora do povo dizer basta, porque o que querem é trabalho. E sendo assim é necessário investir num partido que tenha políticas que gerem trabalho.
Outro candidato a fazer o uso da palavra foi o ex-vereador da cultura e desporto, Humberto Lélis, que apelou a população para reflectir sobre o futuro político de Cabo Verde, sobre o retrato actual de São Vicente e da economia de Cabo Verde. Reflectir ainda sobre a continuação dos problemas que o povo tem enfrentado, ou trabalhar para arranjar soluções.
E o maior problema, segundo Lélis, de acordo com os contactos porta a porta é o desemprego. “Em São vicente a taxa de desemprego é a mais alta em todo o país e o governo não preocupa com estes dados, porque para eles está tudo bem”, critica o candidato a deputado nacional.
Conforme Lélis já é hora de dar um “basta” no esquecimento de São Vicente, é preciso reverter esta situação, trazer soluções viáveis para o desenvolvimento do país.

  1. Francisco andrade

    O MPD possui o maior projecto para S.Vicente. Há que criar estratégias para combater o desemprego da camada jovem.E não pedir aos jovens para vender canja e pastel.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.