450 mil escudos pirateados de uma conta da Caixa Económica

3/03/2016 10:17 - Modificado em 3/03/2016 16:52
| Comentários fechados em 450 mil escudos pirateados de uma conta da Caixa Económica

caixa economicaUm cliente do Banco da Caixa Económica de Cabo Verde bloqueou a sua conta visto que a mesma foi pirateada e os autores do crime informático conseguiram transferir da sua conta o valor total de 450 mil escudos.

 

O roubo terá sido feito em duas vezes. No dia 23 de Fevereiro os piratas informáticos transferiram o valor de 220 mil escudos e no dia seguinte foi transferido o valor de 230 mil escudos, sendo o Banco destinatário, o Banco Cabo-verdeano de Negócios (BCN).

A conta onde foi creditado o dinheiro pirateado pertence a um cidadão estrangeiro que tem relações com unidades africanas no país e a primeira parcela de 220 mil escudos foi enviada para a Guiné-Bissau através do serviço Wester Union, tendo a esposa do suspeito conseguido concretizar esta operação bancária num balcão do BCN.

O segundo montante de 230 mil escudos não foi transferido da conta do suspeito de pirataria informática, visto que a Polícia Judiciária que está encarregue desta investigação já tinha os Bancos sobre aviso. Sabe-se que o suspeito não se encontra detido e, de acordo com a RCV, o mesmo alega que não tinha conhecimento dos nomes dos destinatários e que ao fazer estas operações recebia 10% dos valores transferidos.

A Caixa Económica de Cabo Verde no site da caixanet alerta os clientes para a existência de esquemas fraudulentos na internet com o objectivo de obter acesso aos dados pessoais dos mesmos e com isso, aceder à sua conta através da caixanet. Ainda a instituição bancária esclarece que “esses esquemas são denominados de phishing e geralmente aparentam ser fidedignos e enviados de pessoas conhecidas ou de endereços do banco. Para sua segurança, deve desconfiar sempre quando recebe mensagens em nome da CAIXA e principalmente quando estas sugerem algum link”. A Caixa Económica de Cabo Verde frisa que nunca envia mensagens aos clientes solicitando a actualização dos dados e muito menos para que introduza a chave de confirmação completa e ainda relembra que esses dados são pessoais e intransmissíveis e que o cliente deve ter sempre muito cuidado na forma como os manuseia.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.