Plataforma eleitoral do MpD para São Vicente: Si tudo qui bu flam é verdadi djam fica cheio de vontadi

25/02/2016 08:02 - Modificado em 25/02/2016 08:02

ulissesCom a plataforma eleitoral apresentada pelo MpD para São Vicente para a próxima legislatura, o maior partido da oposição promete transformar São Vicente no epicentro da transformação de Cabo Verde, numa Economia do Oceano e num Centro de Operações no Atlântico e em África.

De acordo com a plataforma eleitoral para a ilha do Monte Cara, o MpD pretende apostar na economia azul e no governo regional, assunto que o partido ventoinha tem defendido nos últimos tempos, nos termos da regionalização.

O partido encabeçado por Ulisses Correia e Silva, UCS, propõe implementar um programa de Plataforma de Comércio e de Serviços Internacionais no Mindelo. Pretende desenvolver um centro logístico e de transbordo internacional competitivo na ilha, dotar a ilha de um centro de excelência na formação marítima.

“Promete ainda retomar o processo do registo internacional de navios, relançar a actividade de manutenção e reparação naval, valorizar os desportos náuticos e instalar um Parque Tecnológico e Científico no Mindelo. Pretende também tornar São Vicente numa referência nacional e mundial em matéria de empreendedorismo, turismo, cultura, serviços de apoio à pesca, tecnologia e inovação, indústrias ligeiras e economia do conhecimento, internacionalizar o ensino superior no Mindelo, promover a investigação e valorizar a cultura, com destaque para o Carnaval, a dança, o teatro, o artesanato e a música, requalificar o Aeroporto Cesária Évora para as operações internacionais e nocturnas, construir o terminal de cruzeiros do Porto Grande, requalificar o Hospital Regional Baptista de Sousa e a área urbana de São Vicente, expandir e modernizar o Complexo de Pesca de Cova de Inglesa, construir a estrada que liga Lazareto e Calhau, modernizar e relançar o Parque Industrial da ilha”.

De acordo com alguns entrevistados sobre a plataforma eleitoral do MpD, para a ilha de São Vicente, os mesmos afirmam que os programas “são todos semelhantes; o objectivo é ver quem engana o povo primeiro”, explica Paulo Duarte, para quem “o MpD está na contramão de tudo, uma vez que repete e mal que o actual Governo tem feito ou tem no seu programa”.

Duarte garante ainda que a promessa de tornar São Vicente e Santo Antão em ilhas com governos regionais, serve apenas para agradar aos defensores da regionalização, “quando sabe que nenhum partido pode oferecer governos regionais porque é uma matéria que exige dois terços de deputados no Parlamento”, esclarece.

Ao apresentar estas propostas, cria-se um debate de opiniões que afirmam que “o MpD ainda não é visto, nem sentido como alternativa credível e, depois, porque Ulisses Correia e Silva não é capaz de se impor como solução nem no seio do MpD e nem para os cabo-verdianos”, afirma Sténio, estudante universitário da capital que reside em São Vicente.

O mesmo assegura que apenas quem não conhece UCS é que vota nele para Primeiro-ministro, isto é, “não se deve confiar nele para entregar o futuro de Cabo Verde, se em 2001, quando era Ministro das Finanças, entregou Cabo Verde de uma forma “abandonada, desprezada”.

Questiona ainda se é este mesmo candidato “que nada fez para a cidade da Praia como Presidente da Câmara e nada fez para Cabo Verde como Ministro das Finanças, que os cabo-verdianos querem como Primeiro-ministro?”.

Independentemente das opiniões o certo é que as propostas já foram apresentadas e no dia 03 de Março arrancam oficialmente as campanhas eleitorais para as eleições legislativas de 20 de Março, com João Gomes, advogado e antigo Presidente da Assembleia Municipal de São Vicente a liderar a lista de candidatos do MpD em São Vicente.

Lista do MpD para São Vicente:

João Gomes, Rui Figueiredo, Humberto Lélis, Maria Celeste Fonseca, Mircéa Delgado, Jorge Oliveira da Luz, Sandra da Silva Rodrigues, Vander Gomes, Carlos Alberto Silva Lima, João da Luz Lima e José Duarte Lopes.

  1. Carlos Andersson

    Eu tenho 19 anos e desde criança ouço falar no mesmo, do mesmo. Nós jovens estamos cansados da mesma coisa. Em Outubro vou entrar na licenciatura e, sinceramente, não vejo opção diferente de dois doo meus irmãos que se formaram há 4 e cinco anos atrás. Desemprego tem les desperados, quase em depressão total…Dia 20 de março não posso ficar em casa…vou votar na mudança…o partido que está no poder ha muitos anos precisa de férias..só acontecerá mudança se nós jovens formos decidir o nosso futuro: soncente kre e Cab Verd também kre mudança já, já…..

  2. Isabel

    Oh JHA tcham canta pa bo^: Ê verdade sim , foi amor kum sinti, tud kun dze hun ta faze pq SV ta merece.

  3. Pidrin

    Este jornal há muito que vem tentando dar boleia ao PAICV.
    Onde já se viu publicar um texto desses em plena época eleitoral criticando claramente um dos candidatos. Sim porque não fez as afirmações mas convidou duas pessoas claramente do PAICV para darem a sua opinião.
    Em nome da democracia sugeria que escrevesse um texto sobre as promessas que a candidata do PAICV fez a S. Vicente e que vem suscitando criticas no seio dos mindelenses pois ela fala como se não estivesse no governo e não se esqueçam de entrevistar alguns afectos ao MPD.

  4. Ulisses e a Praia, claro está estão falidos, falidos, falidérrimos. Esse é o Ulisses candidato a querer governar o país Cabo Verde. O Ulisses e a sua Praia não têm dinheiro e nem material para alugar um simples palanque e colocar na Praça, à frente da sua Câmara e fazer a entregar das taças do Carnaval. A miséria ou o miserismo na Praia Capitol deste país é gritante. Montaram um palanque e foram buscar os velhos carpinteiros da Câmara Municipal para djodjarem uns ferros bedjos e depois umas tiras de madeira velha para fazerem de palanque. Aquela coisa até pode cair com o peso dos vereadores. Seria de morrer a rir. As cadeiras que os convidados vão se sentar estão uma lástima. Todos velhinhos e carcomidos pelo tempo e sujos de há muitos anos sem limpeza. Eu já não tenho dúvidas sobre o que é que o Ulisses vai fazer a Cabo Verde. Vai ser um desastre total. Se a imprensa quiser ver é só irem ao plateau para verem com seus próprios olhos essa miséria. A coisa via ficar séria em Cabo Verde com o Ulisses. Eu já nem digo o MPD porque este também foi lixado pelo Ulisses e a sua burrice e estupidez ao quadrado .

  5. O PAICV vai ganhar com maioria qualificada. O povo vai votar de tal forma que todas as mulheres das listas do PAICV devem ir para o parlamento. Em todos os círculos eleitorais as mulheres devem votar nas listas que têm mais mulheres. Quanto mais mulheres no parlamento mais forte a mulher ficará depois. O partido que colocou mais mulheres nas suas listas é muito mais sério e é um partido que dá reais possibilidades a todos os sexos. Por isso, o voto nos círculos eleitorais deve ser expressivo nas listas em que as mulheres lideram cada círculo. A chance está aí e a oportunidade está aí para as mulheres. A oportunidade não aparece duas vezes em tão pouco tempo. Desta vez vou ver a inteligência das mulheres.

  6. Ulisses sabe e eu também já sei que perdeu as eleições em Santo Antão e nos Estados Unidos. As várias viagens e os vários dias passados nesses círculos demonstram isso sem dúvida. Qualquer político vê isso. A derrota de Ulisses em SA é certíssima. O PAICV vai na frente com toda a calma e consistentemente tem ido a aumentar o seu número de votantes na Janira. Pela primeira vez o PAICV vai eleger dois deputados na Ribeira Grande de Santo Antão e ganhar as eleições. Todas as obras feitas pelo PAICV irão dar esses resultados.

  7. O Ulisses já pagou as indemnizações às vítimas do avião da Guarda Costeira que bateu na rocha do pico da ilha de Santo Antão com 18 civis e dois militares mortos no comando do mesmo. Estava fretado pelos TACV e transportava civis para a ilha de São Vicente e Santo Antão, São Nicolau, Fogo e Brava. Quem era o Ministro das Finanças nessa altura?. Ulisses Correia e Silva. Pagou as devidas indemnizações às famílias em 1999. Não. Ulisses nem isso fez. Não pagou nenhum tostão, porque ele e o MPD assobiaram para o lado e fizeram de conta que não havia gente civil naquele avião. Se o Ulisse se importa hoje com uma simples boleia de um Ministro, então os familiares das vítimas mortais devem lhe pedir uma indemnização pelas perdas das vidas das pessoas num avião que não deveria transportar civis e então o Estado e as Finanças de Cabo Verde, lideradas pelo Ulisses Correia devem uma grande explicação ao país, um grande pedido de desculpas ao país, um bem grande pedido de perdão aos familiares por ele Ulisses ter pagado às Forças Armadas os fretes dos TACV e por se ter calado naquele tempo e durante todos os anos depois por esse escândalo que até mortes teve. No acidente do tempo do MPD nem foi possível pôr os mortos num caixão digno. Naquela altura o PAICV e a Janira mantiveram-se bem quietos e nunca especularam sobre a tragédia desses mortos, vítimas do MPD e do Ulisses que permitiram os TACV alugar o avião da Guarda Costeira para transportar civis.

  8. Alo Cuidadoso. Na década de 90 MPD ganhou com duas maiorias qualificadas porque colocou muitos militantes deles da Praia com duplas e triplas inscrições nos cadernos de Achadinha, Brasil, Capelinha, São Domingos, Cidade Velha e Jacinto, Catchupa, Simão Monteiro, José António dos Reis, Agostinho Lopes, Filomeno, suas esposas e filhos foram votar tantas vezes quantas quiseram nessas mesas de voto com nomes aos quais mudavam ou apelido do meio ou o segundo nome. Como na altura não eram bem conhecidos eles passaram despercebidos e o PAICV dormente não viu nada. Mas em 2001 com a cisão no MPD e o escândalo da ENACOL essa malta macaca do PRD não votou nas listas e o MPD caiu. Nas listas de 2006 esses nomes duplos e triplos foram todos retirados da lista e em 2011 também. Por isso o MPD vem perdendo eleições e vai perde de novo porque esses partido só sabe fazer batotas para ganhar eleições. A base eleitoral do MPD é baixíssima. O MPD não tem eleitores e só ganha com fraude. Sem fraude o MPD não existe. A não ser que chamem o Eurico Monteiro, o DIco para arrombar mais umas portas de mesas de votos ou então para lançar mais uns panfletos na véspera das eleições, na calda da noite junto com a sua esposa num carro dayatsu vermelho ou prado cinzento.

  9. A regionalização que Janira quer para Cabo Verde é: Região Norte com Santo Antão, São Vicente e São Nicolau, Região do Oriente com Sal, Boavista e Maio, Região Santiago Sul com Praia, São Domingos, São Lourenço dos Orgãos e Ribeira Grande de St. Região de Santiago Norte com Santa Catarina, Picos, Tarrafal, Calheta e Santa Cruz e Região Fogo e Brava. Assim está garantida a unidade nacional e as regiões económicas do país e ainda Região Diasporizada com direito a 3 deputados, um por cada continente. Cada 7000 eleitores no país terá direito a 1 deputado no parlamento.

  10. Mindelo RB

    Oh Pidrim um ke te intendé bsot. Ex te escreve um artigo sobre camara municipal, bsot te dzé foi um artigo te benificia MPD, porque ess jornal te estod te levá Augusto Neves na costa, e pelo ke sei august neves é MPD.

  11. Fernando Fortes

    Estou de acordo com o artigo e com o seu título.

    O UCS,prometeu demais e isso não é de gente séria.
    A JHA,também promete demais e isso não é de gente séria.
    O meu conselho é de apostar numa solução que não leve a existência de maioria absoluta para nenhum desses partidos.
    Vamos colocar a UCID,na charneira, mas com um aviso ao Monteiro-Não vais fazer o que fizeste na Câmara de S.Vicente.Porque e facto aí também não foste sério.
    O interesse de S. Vicente e das suas gentes ficou para a trás do que foste acordando com o Augusto.
    Não esqueça Monteiro é a UCID e a UCID não pode ser o Monteiro.
    A UCID tem que ser um conjunto de valores e princípios conjugados,para uma fim comum.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.