Ilha de São Nicolau sofre com a escassez de mercadorias devido à falta de transporte marítimo

24/02/2016 07:25 - Modificado em 24/02/2016 07:25
| Comentários fechados em Ilha de São Nicolau sofre com a escassez de mercadorias devido à falta de transporte marítimo

são nicolauA ilha de São Nicolau tem sofrido nos últimos dias escassez de mercadorias devida à falta de ligação marítima, uma situação que tem afectado todo o País tendo em conta o mau tempo que tem assolado o arquipélago. Nas mercearias da ilha faltam arroz, milho, leite, carnes, verduras, gás e várias outras mercadorias. Ao que apurámos, a ilha foi abastecida pela última vez há cerca de dez dias, uma vez que as embarcações se encontram proibidas de se fazerem ao mar.

As condições meteorológicas têm dificultado bastante a vida das populações, sobretudo das ilhas que de forma frequente dependem do abastecimento feito a partir de outras ilhas. Uma situação que tem condicionado a ilha de São Nicolau que tem sofrido com a escassez de mercadorias devido à falta de transporte marítimo.

Os comerciantes desta ilha reclamam desta situação, pois algumas prateleiras das lojas estão vazias, porque não foram abastecidas, pois aguardam a chegada do navio proveniente da ilha de São Vicente.

Apesar de ainda haver géneros alimentícios que podem ser substituídos por outros, a população teme que venham a escassear outros produtos básicos. Nalgumas lojas o arroz, o milho, a carne, as verduras estão a ser vendidos de forma racionada, pois não se prevê para breve uma melhoria do estado do tempo.

Nos últimos dias, o mau tempo que se fez sentir no País dificultou bastante a saída dos navios. Vários barcos foram impedidos de se fazerem ao mar pelas autoridades marítimas, tendo em vista a segurança dos mesmos.

Todavia, António Duarte Monteiro, Capitão dos Portos do Barlavento anunciou a suspensão da saída para o mar de diversas embarcações. Sendo assim, a deslocação dos barcos e a falta de mercadorias deixou de ser uma preocupação para a população, pois a situação irá normalizar-se.

O Capitão garantiu ontem que a situação voltou à normalidade, registando-se ventos com velocidade de 40 Km/hora e ondas com 3,5 meros de altura, quando nos dias anteriores os ventos sopravam a 60 Km/hora e as ondas atingiam 5,5 metros de altura.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.