O engenho explosivo que matou um pescador pertencia à 1ª Região Militar de São Vicente

19/02/2016 07:39 - Modificado em 19/02/2016 07:39

forças armadas3O material explosivo que provocou a morte do pescador de Salamansa pertencia à 1ª Região Militar de São Vicente, assume o Comandante José Rui Neves. No entanto, o mesmo garante que foram cumpridos todos os procedimentos para a destruição dos mesmos.

O Comandante José Rui Neves, em entrevista à RCV, afirma que as Forças Armadas cumpriram com as regras para a destruição dos projécteis de armamento militar. Desta forma, o mesmo garante que “a destruição foi feita na altura do exercício da NATO e com especialistas de países amigos que possuem mais experiência e prática a nível internacional”. Todavia, um desses explosivos foi encontrado por um pescador de Salamansa, conhecido por Braça que, segundo testemunhas, terá batido no “projéctil com um martelo com a intenção de o transformar num instrumento de pesca, provocando uma explosão e a morte imediata do pescador”.

O Comandante acrescenta que está a ser realizada uma campanha de sensibilização nas zonas piscatórias com o objectivo de consciencializar as pessoas para entregarem exemplares de projécteis de armamento militar, assim como explicar às comunidades os riscos associados ao uso dos mesmos. Neste âmbito, há uma reunião com a associação da zona de Salamansa para a realização da campanha no dia 20 de Fevereiro.

  1. Suly

    Se as Forças Armadas dizem que os projéteis foram todos desativados porque lançar uma campanha de informação? Digam logo que há mais e que em vez de os desativarem só os lançaram num lugar qualquer onde pensavam que ninguém os encontraria. Aff sempre a (tentar) enganar as pessoas.

  2. BLA BLA

    Ja ta tudo dito Forças Armadas NÃO cumpriram com as regras para a destruição dos projécteis de armamento militar. Por isso nhos asumi nhos rasponsabilidade…como kes familia di coitados es ka tem meios pa djobi um bom advogado, nhos ta das dedo na odju.

  3. BLA BLA

    a destruição foi feita na altura do exercício da NATO e com especialistas de países, nhs pera li um odja sim intendi dreto (ESPECIALISTA di coze? di dizarmamento ou di ba bota long undi ki NINGUEM KA TA ODJA?

  4. BLA BLA

    Mesmo q es tinha sido desativados es ka podia ter sido lançado asim na natureza , por isso es ta 2 bes condenado
    1° Pa destrução de meio anbiente
    2° Por não desactivação do projectil q causa morte de uma pessoa.

  5. Ana Paula

    Há que assumir as responsabilidades… e a família do rapaz, como fica? Se foram destruídos como é que aparecem um intacto? Aí há gato….Alguém tem que pagar por isso… Brincadeira!!!!!!!!!!!!!!! Estamos em terra de ninguém!!!!!!!!!!!!!! Sinceramente….

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.