Naufrágio: Armador do Navio Vicente vai ser ouvido na Procuradoria

17/02/2016 08:08 - Modificado em 17/02/2016 08:08

vicenteApós onze meses do trágico acidente do Navio Vicente e depois da audição dos sobreviventes e familiares das vítimas do afundamento, o armador do navio, Gerard Ascher, vai ser ouvido na Procuradoria de São Vicente. Considera-se que o armador é uma das pessoas  que  poderá ter responsabilidades no afundamento  do  Navio Vicente.

Um ano após o acidente do Navio Vicente ao largo do Porto do Vale  dos Cavaleiros, na ilha do Fogo, com 26 passageiros a bordo, os familiares dos náufragos dizem terem visto uma luz no fundo do túnel com o início da audição dos intervenientes na Procuradoria de São Vicente.

Após a audição dos sobreviventes e familiares das vítimas do afundamento na Procuradoria, é a vez do armador do navio, Gerard Ascher, de prestar declarações. Para os familiares, alguém deverá ser responsabilizado pelo mal causado a tantas famílias e as diligências feitas começaram a surtir efeitos, pois trata-se de uma das pessoas com responsabilidade no afundamento do Navio Vicente.

Para os entrevistados, a audição na Procuradoria de São Vicente “é uma luz no fundo do túnel”, pois nunca perderam a esperança, um sentimento que os motivou para lutarem pelos seus direitos e os dos seus familiares que perderam a vida na sequência do naufrágio no dia 8 de Janeiro de 2015.

Os sobreviventes e os familiares têm acusado o dono do Vicente de falta de solidariedade e de não honrar os compromissos assumidos. Afirmam que  receberam da companhia uma carta de despedimento e que foram para casa de mãos a abanar.

Sem emprego e sem dinheiro, as vítimas afirmam terem estado a sobreviver com várias dificuldades. Todos são pais e chefes de família com diferentes encargos. Indignado, um dos entrevistados desabafa assim: “A companhia abandonou-nos no mar e continua a abandonar-nos em terra sem meios de sobrevivência porque não se importou com a dor e a perda das vítimas e das famílias das mesmas”.

Os familiares das vítimas estão sedentos de justiça, pois os náufragos eram chefes de família. “A culpa não irá morrer solteira”, acreditam os familiares que consideram a audição na Procuradoria “um passo em frente para sacar responsabilidades das autoridades”.

  1. joão Fortes

    Os responsáveis do afundamento do Navio Vicente foram, O capitão dos portos de Sotavento (João de Deus-Djonça), o Antigo presidente da agencia marítima e portuária (José Fortes – Zeca). O serviço de busca e salvamento nunca funcionou ( duas embarcações de busca e salvamento parados em S.Vicente desde 2010.). A procuradoria devia investigar essas duas pessoas, em vez de importunar as outras pessoas.

  2. David Polo

    Nao seja ridiculo senhor Joao Fortes. UM ARMADOR É RESPONSÁVEL DO NAVIO TAMBEM. Eu pessoalmente trabalhei com o Senhor Ascher durante 2 meses na direçao da empresa, e vi em primeira pessoa como ele evitava pagar qualquer coisa, ter tudo em ordem e é um facto provado que ele nao quis ter comtrolo sobre a carga e que a sua única obsessao era carregar o navio o maximo posível e era consciente do mau estado do navio. O armador é responsável de cumprir com a seguraça do navio e mesmo se foi alertado antes da saída ele nao quería perder uma viagem e portanto dinheiro.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.