Promessas de emprego: Entre a troça e promessas de campanha

12/02/2016 00:10 - Modificado em 12/02/2016 00:16

promessas campanhaÉ com desdém e desconfiança que os leitores do NN reagem às promessas de criação de postos de trabalho por parte do MpD e do PAICV. No fórum do jornal, os internautas não acreditam que serão criados os tais postos de trabalho prometidos e para os mesmos, tudo não passa de promessas de campanha. Um simples “kkkkkkk” que significa que as pessoas se estão a rir foi um dos comentários mais comuns no fórum do jornal. Para quem não entende o significado, a tradução pode ser vista noutros termos: “Eles estão a troçar!”.

O emprego tem sido um dos maiores problemas e preocupações das pessoas, principalmente dos jovens. E do nada começam a ouvir a falar de criação de emprego em grande escala. E esta surpresa é vista, nada mais nada menos, como uma estratégia de campanha. “Só promessas sem cabimento. Não caiam nisso. Foi sempre assim”, alerta um leitor do NN.

Para quem já vem analisando o comportamento dos políticos, parece não cair nas promessas destes. “Esses lances aí são, nada mais nada menos, que as muitas e boas mentiras que eles, os políticos desta nossa querida terra já nos acostumaram a ouvir em altura de eleições”.

Por outro lado, os leitores dizem que o partido que agora está no Governo não pode prometer mais empregos porque “é seu dever desde que tomou o poder”. E já conta com três mandatos. Neste sentido, pedem a atenção das pessoas sobre as promessas de modo a analisarem bem antes de tomarem alguma decisão no que concerne ao voto.

“Um dos fundamentos da democracia é a corrida desenfreada ao muro do poder. Todo o mundo quer-se sentir lá em cima”, escreve outro leitor do NN. E uma das formas de conseguir o poder, é fazer promessas para alcançar o objectivo.

Mas com tantos empregos prometidos há quem ache que o País vai necessitar de importar trabalhadores para dar vazão a tantas vagas que vão ser criadas. Mas também há quem pense que os novos postos de trabalhos a serem criados irão para “sobrinhos e netos”.

Ainda existe quem acredite que as promessas podem ser cumpridas já que o País está em desenvolvimento. “A intenção é boa para ambos os lados. Ninguém sabe do futuro e o que poderá vir a acontecer. Afinal ainda que só no papel, somos um país de desenvolvimento médio. Só o senhor David Chow vai empregar mais de 2500 pessoas”.

Num país com problemas de emprego, o desejo é que haja mudança, de qualquer lado, para fazer o País desenvolver-se, principalmente a nível do emprego e que prometam “não esbanjar tanto dinheiro nessa campanha porque depois das eleições esse dinheiro vai deixar falta e quem vai sofrer ainda mais é o povo cabo-verdiano”.

Mas vários leitores estão desejosos de saber quais são as ofertas dos outros partidos.

  1. PraiaMaria

    Mais de que promessas queremos ver o programa/plataforma eleitoral do PAICV. Ainda só o MPD disponibilizou o programa em PDF. Quero ler com calma e ver a coerência e consistência do que estão a prometer avulso e fazer da minha justiça.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2017: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.