São Vicente: Médicos descontentes com a Ministra da Saúde acusam-na de não defender os interesses da classe

29/01/2016 08:12 - Modificado em 29/01/2016 08:12
| Comentários fechados em São Vicente: Médicos descontentes com a Ministra da Saúde acusam-na de não defender os interesses da classe

medicoA classe médica de São Vicente e os sócios do Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública (SINTAP), estão descontentes com a postura da Ministra da Saúde, uma vez que consideram que a mesma não defendeu os interesses dos médicos com o envio do diploma que prevê um novo plano de carreira e salários.

“Lamentamos que a Ministra da Saúde que faz rasgados elogios à classe médica, não tenha assumido o dever moral de ir ao Conselho de Ministros defender minimamente a situação laboral dos médicos, visto que a diferença orçamental entre a proposta do Ministério da Saúde e da SINTAP é de 30 mil contos para toda a classe médica”, diz em entrevista à RCV o médico e porta-voz Tito Rodrigues que afirma que é um esforço que o Governo não está disposto a fazer pelos médicos. Relembra ainda que é uma classe que se tem sacrificado pelo bem comum e que nunca ameaçou fazer greve. Apesar do descontentamento, Tito Rodrigues assegura que “a classe médica continua e continuará a estar comprometida com a saúde dos cabo-verdianos”.

Salário base, regime de urgência, remunerações acessórias, segurança no trabalho e transição para o novo plano de carreira e salários estão na base da defesa da classe médica. Assim, espera-se pelo Presidente da República (PR) visto que o “PR tem todos os meios para avaliar a proposta do Ministério da Saúde e decidir em consciência”, diz Tito Rodrigues que também tem esperança que as questões em debate sejam resolvidas na base do diálogo. “Vamos continuar a desenvolver todos os esforços para que as nossas propostas possam ser compreendidas e aceites pelo Ministério da Saúde”.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.