Artigo 105 do Código Eleitoral gera várias interpretações

28/01/2016 08:27 - Modificado em 28/01/2016 08:27
| Comentários fechados em Artigo 105 do Código Eleitoral gera várias interpretações

jmnO Primeiro-ministro José Maria Neves, defende a reposição dos programas de debate e comentários nos Órgãos de Comunicação Social, por considerar o artigo 105 do Código Eleitoral de Cabo Verde que regula a “Liberdade de Imprensa” excessivo, visto que a Rádio Nacional foi um dos órgãos que suspendeu os programas de debate com comentários, análise e opinião do público desde o dia 20 de Janeiro, à luz do referido artigo.

O Chefe do Governo garante que “desde que haja equidade e imparcialidade no tratamento dos diferentes assuntos, indo desde modo ao encontro da Constituição”, deve-se repor os programas de debate e comentários. O Primeiro-ministro vai mais longe e defende a eliminação do artigo 105 por ser excessivo, isto de acordo com a RCV.

Outras bandas políticas

Por sua vez, António Monteiro, líder da UCID, acredita que a norma 105 que regula o papel da Imprensa em tempo de eleições fere a liberdade dos Meios de Comunicação visto que limita o trabalho dos jornalistas.

Todavia, o líder parlamentar do PAICV, Felisberto Vieira, discorda que haja limitação da Liberdade de Imprensa com o artigo 105 e recorda que inclusive já se realizaram eleições em Cabo Verde com o actual código, logo, não percebe os “porquês” em volta da cláusula. O líder do MPD, por sua vez, defende que há uma interpretação para além da letra da lei e que a mesma é excessiva.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.