EuroAtlantic poderá participar na privatização da TACV

26/01/2016 08:00 - Modificado em 26/01/2016 08:00

euroatlanticoDe acordo com a LUSA, a empresa de aviação portuguesa EuroAtlantic poderá participar na privatização da TACV. Citando o Primeiro-ministro, escreve: ”Há uma parceria e estão a trabalhar diferentes aspectos dessa parceria. De vez em quando, a TACV usa os aviões da EuroAtlantic e foi no quadro dessa parceria que estiveram presentes aqui em Cabo Verde. Já nos tínhamos encontrado em Lisboa na minha última passagem e tínhamos conversado. Essa parceria continua e, eventualmente, poderão vir a participar no processo de privatização quando a questão for colocada sobre a mesa”.

José Maria Neves esteve reunido na semana passada, na cidade da Praia, com o Presidente do Conselho de Administração da EuroAtlantic Airways (EAA) e administrador do Grupo Pestana, Tomaz Metello.

Fonte do Grupo Pestana disse, por seu lado, à agência Lusa, que a missão da EAA em Cabo Verde visou “a procura de soluções que possam apoiar a congénere deste país lusófono […] face às actuais dificuldades operacionais e de tesouraria”.

A TACV, com 57 anos de existência é a única transportadora inter-ilhas e tem enfrentado vários problemas como o acumular de dívidas e os cancelamentos e atrasos recorrentes nos voos.

A empresa tem registado ruptura de tesouraria, tendo em conta que os gastos são muito superiores às receitas da empresa que tem um passivo de 10 mil milhões de escudos (cerca de 90 milhões de euros).

Em Dezembro, a TACV foi suspensa da Câmara de Pagamentos da Associação Internacional dos Transportes Aéreos (IATA) tendo agora de fazer todos os pagamentos a pronto ou antecipadamente.

O governo cabo-verdiano pretendia privatizar a TACV até finais do ano passado mas, até agora, o processo ainda não avançou e o executivo já admitiu dificuldades em encontrar um comprador.

O Ministério das Finanças contratou, entretanto, os serviços de consultoria de uma empresa norte-americana para negociar a reestruturação das dívidas da TACV junto dos seus credores, segundo informação publicada no sábado no Boletim Oficial.

Trata-se da mesma empresa que já assessorou a TACV na primeira fase da intervenção do Governo e que tinha como objectivo a reestruturação da empresa para diminuir os custos e melhorar a sua eficiência na gestão e operações.
A segunda fase da intervenção na TACV deve decorrer nos próximos três a quatro meses.

A intervenção do Governo na TACV visa preparar a empresa para a privatização.

Fonte LUSA

  1. antonio

    well isto constitui uma granda grosseira sacanagens do governo de carlos fonseca al almeida! isto e’ o new colonialismo porco e groseiro do governo de carlos fonseca almeida, que esta aser emrrabado pelos colonialista em troca das bolssa de estudo que foi proporcionado pelos colianistas a ele eos outros meninos betinhos porcos de caboverde , Nao podemos aceitar isto! o que deve fazer e’ fazer uma bomba com estes avioes do tacv e ir esplodir cheio de mustard gaz , em portugal em trocapelo lancamento de mustard gaz que foi lancadoao nossos irmaos da guine bissau, durante aluta da libertacao colonial!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.