DGAPE considera “extremamente positivo” o recenseamento eleitoral

26/01/2016 07:57 - Modificado em 26/01/2016 07:57
| Comentários fechados em DGAPE considera “extremamente positivo” o recenseamento eleitoral

recenseamento eleitoralA Direcção-Geral de Apoio ao Processo Eleitoral (DGAPE) avalia de forma positiva o processo de recenseamento eleitoral no país. De acordo com Arlinda Chantre, Directora da DGAPE, os números ultrapassam os trezentos mil eleitores no território nacional e esperam obter “qualquer coisa como trezentos e cinquenta mil eleitores na totalidade do território nacional e na diáspora”.

Os números, segundo Chantre, formaram-se principalmente na recta final e pode-se dizer que o balanço foi “extremamente positivo”. Isto porque, como explica, só de 2 a 14 de Janeiro deste ano, houve entre 14 a 15 mil novos registos enquanto que de 2 de Janeiro de 2015 a 31 de Dezembro do mesmo ano, houve mil registos.

“No primeiro semestre os números estavam bastante baixos mas conseguimos ultrapassar esta barreira e creio que o balanço deva ser considerado positivo”.

Até agora, foram efectuados 34 mil registos desde 1 de Janeiro de 2015 a 14 de Janeiro de 2016, garante Arlinda Chantre.

Depois de feitos todos os trabalhos, os cidadãos terão um período para consultar os cadernos eleitorais e fazer as devidas reclamações junto das Comissões de Recenseamento, de modo que os cadernos eleitorais utilizados no dia 20 de Março sejam os mais fiáveis possíveis. E caso haja omissões ou incorrecções nas respectivas inscrições, devem solicitar as devidas correcções junto das Comissões de Recenseamento que, se não responderem aos pedidos desses eleitores, os mesmos deverão recorrer ao Tribunal da sua área de residência que deverá julgar em última instância o pedido.

Segue-se depois a fase propriamente dita da preparação dos cadernos eleitorais. “O que acontece 30 dias antes da data das eleições e então entraremos no período de inalterabilidade para dar estabilidade de forma a concluir os trabalhos”.

Cada caderno eleitoral deverá ter o máximo de 450 eleitores e feita esta divisão, a Comissão Nacional de Eleitores deverá indicar os membros das mesas de voto e os respectivos locais de funcionamento.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.