JMN: “deixo o Governo com um sentimento de dever cumprido”

18/01/2016 08:18 - Modificado em 18/01/2016 08:18

JMN-FogoO Primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, inaugura o Hospital Regional Fogo e Brava e a Central Única do Fogo e afirma que deixa o Governo com um sentimento de dever cumprido em relação à ilha, mas reconhece que não fez tudo, apesar de trabalhar até ao limite da sua capacidade para que Cabo Verde possa crescer.

“No essencial, o Governo realizou todos os compromissos assumidos para com a ilha e o Governo foi além da expectativa inicial”, diz o Primeiro-ministro em entrevista à Inforpress. Contudo, o Chefe do Governo assegura que devido às vulnerabilidades do País, não foi possível fazer mais como gostaria, mas assegura que os investimentos feitos nos diversos sectores constituem os pilares e caboucos que garantirão o aceleramento do desenvolvimento.

José Maria Neves relembra que durante os 15 anos da sua governação, foram ampliados o porto de Vale dos Cavaleiros e o aeródromo de São Filipe, iniciada a construção do anel rodoviário, construída a estrada de acesso a Chã das Caldeiras, um dos mais modernos centros de formação profissional do País, as escolas secundárias dos Mosteiros, Santa Catarina e de Ponta Verde (São Filipe), que é um dos mais modernos de Cabo Verde e acrescenta os últimos feitos na ilha do Fogo, nomeadamente, a inauguração da Central Única do Fogo e o Hospital Regional Fogo e Brava sendo considerado o mais moderno do País visto que engloba uma unidade de cuidados intensivos, assim como um serviço de neonatologia dos mais actuais e salas de atendimento

Críticas e aplausos

O Primeiro-ministro usa a sua página nas redes sociais para divulgar essas inaugurações. Muitos felicitam o Chefe do Governo pelo trabalho realizado na ilha do Vulcão, mas existem internautas que apelam para que os olhos do Governo sejam postos na ilha da Brava, uma vez que esta tem sido esquecida e pedem “independência” da ilha do Fogo.

“Hospital Regional Fogo e Brava? Isto é que faltava! Até parece que Fogo e Brava estão ligados. Como servirá o hospital localizado no Fogo quando na Brava não há sequer transporte ‘fixo’ para transferir os pacientes (…). Brava continua muito bem servida, pois nem um RX se consegue fazer. Até uma aspirina para uma simples dor de cabeça falta na Delegacia de Saúde da Brava”, diz Spinola. Manuel, por sua vez, relembra que “a nossa ilha Brava foi sempre esquecida pelo Governo central. Temos de levantar as nossas vozes e protestar, pois isto já é demasiado”. Évora pergunta: “uma mulher grávida da ilha da Brava, vai ter o filho no Fogo, o bebé é de qual ilha?” Para além da questão Fogo e Brava, também há outras situações a serem resolvidas na ilha do Fogo, e Romano questiona: “quanto tempo teremos de esperar para resolver o problema da lixeira de São Filipe? De que serve um belo hospital novo se a 300 m se queima o lixo todos os dias e os fumos vão contaminar o novo hospital?”.

Apesar de algumas críticas negativas ao Governo, também existem os internautas que estão com o Primeiro-ministro. “É assim que se constrói uma Nação. Ilha a ilha, sol a sol, deitando uma semente. Parabéns. Realmente é um Homem que nos orgulha e tanto”, refere Lidiane e também Maria Pinto agradece José Maria Neves pelo trabalho feito como 1º Ministro e acrescenta que “muito tens feito pelo nosso Cabo Verde em geral e para o Fogo, em particular. Djarfogo riba la! Repito: ‘o pior cego é aquele que não quer ver’. Bem hajas meu amigo e camarada”.

  1. D.Semedo

    Ê voce quem o diz

  2. FMD

    Deixo aqui uma pergunta ao Senhor primeiro ministro, apezar de saber que não haverá resposta.
    “O que foi feito nas outras Ilhas? Nomeadamento as do Barlavento?”
    Depois que nimgém se estranha que “muitos” pedem regionalizacão!

  3. Francisco

    Esse JMN deixa Cabo Verde com uma taxa de desemprego mais alta da história desse país. Considera-se como o politico que mais prometeu e nada cumpriu ( só deixou ilusão ao povo) como por exemplo o 13º salário na função pública, entre outras coisas.
    Vai e vai tarde mesmo.

  4. Muchim Mercon

    Sim dever e missão cumprida . O teu cao Verde resumiu-se a santiago. Estás de parabens.

  5. Djosa Neves

    Gostaria de saber se Cabo Verde não tem PESSOAS? É que as COISAS merecem tanto destaque enquanto as PESSOAS estão esquecidas. Pergunta-se QUEM VAI PAGAR todas essas COISAS? São estas PESSOAS que o Estado deve-lhes milhões de contos? São as mesmas que durante ANOS não viram os seus SALÁRIOS ACTUALIZADOS? São as empresas FALIDAS por um Estado devorador? São os Jovens cujos pais se sacrificaram para lhes garantir formação e agora estão no DESEMPREGO? São as crianças que ao nascerem já estão ENDIVIDADAS até a raiz dos cabelos? São os idosos que não têm dinheiro para uma radiografia? Porque passados 15 anos o Sr. diz que os RESULTADOS VIRÃO MAIS TARDE, que os pilares estão preparados…Mas como aproveitar se ESTAMOS TODOS FALIDOS?

  6. Firmino Lima

    Retirando as promessas não cumpridas… ( como por exemplo o tão esperado 13º salário) este ministro pode ser chamado de “boca -doce”. Isto é a arte de persuadir e convencer pessoas

  7. Nelson Cardoso

    O Homem trabalhou, esta é a verdade verdadeira. Não fez tudo, como ele próprio assume, mas fez o que pôde.

  8. D. Semedo

    Ê o senhor quem o diz.
    A boca é sua.

  9. JOAO

    TEM CERTEZA SR. PRIMEIRO MINISTRO? Em Santo Antão prometeu em 2007 a construção das estradas Pinhão de Cima e Monte Joana na Ribeira Grande, mas esta promessa não foi cumprida. O Senhor vai confiar o próximo Primeiro Ministro para levar avante o prometido?

  10. Onesimo Silveira

    Pode ter deixado coisas por fazer. Agora dizer que não fez por exemplo no barlavento só os cegos não consegue ver.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.