Janela: populares manifestam-se em prol da iluminação pública

15/01/2016 08:10 - Modificado em 15/01/2016 08:10

Janela_localidadeOs habitantes da localidade de Janela, Santo Antão, estão descontentes com a falta de iluminação pública na zona. E depois de muito pedirem às autoridades, resolveram convocar uma manifestação no próximo sábado. Armindo da Luz, um dos promotores da manifestação, disse à Inforpress que a passeata visa “mostrar o nosso desagrado em relação à falta de iluminação pública” nessa zona no interior do Concelho do Paul.

Armindo da Luz aproveitou a recente sessão da Assembleia Municipal do Paul que se realizou a 28 de Dezembro, para levar essa preocupação dos habitantes de Janela às autoridades locais.

O Edil paulense, António Aleixo, informou que a Câmara Municipal do Paul tem estado a dialogar com a Empresa de Electricidade e Água (Electra) sobre o problema da iluminação pública nesse Concelho admitindo, todavia, que nos últimos tempos “se tem notado alguma melhoria” nesse aspecto.

António Aleixo disse acreditar que a situação da iluminação pública no Paul “está a melhorar, gradualmente”.

Também, nos outros concelhos de Santo Antão (Porto Novo e Ribeira Grande) tem havido, frequentemente, queixas das populações sobre a deficiente iluminação pública.

  1. De Alto Doca SV

    Janeiro de 2012. Na pressa que Augusto Neves tinha para “comprar votos” e ganhar eleições a todo o custo (diz-se bairrismo feroz, viral e exacerbado contra Filomena Martins – ora “guineense”, ora a “residente na Cidade da Praia”, etc.), a sua Câmara vendeu, por troca de serviços (e “servicinhos”, quiçá), sem qualquer concurso, logo sem transparência (um dos princípios sacrossantos do Estado de Direito Democrático, para a gestão dos bens do Estado, in Constituição da República e Leis Ordinárias), 19 mil metros quadrados de terreno em Santa Filomena ao Armando Cunha e com a Electra, deu para a zona uma rede completa de esgoto, água e iluminação pública de luxo na Avenida que dá para o Armando Cunha. Aos coitados moradores de Alto-Doca – Santa Filomena deu: Um muro que dá para Chã de Alecrim (aceita-se!) e o bizarro: ligou metade das casas na parte inferior à rede publica de água e a outra metade da parte superior à rede pública de esgoto. E esqueceram, esgoto precisa de água pública e vice-versa. Uns têm água, outros têm esgoto. Os que têm água revendem-na aos que têm esgoto … e os que têm esgoto “revendem” o serviço de “fazer p***” àqueles que têm água. Ou então mandaram-nos : cooperem lá com esse negócio de água e de esgoto … Mas é verdade! O pior, hoje todo o mundo paga a Taxa de Iluminação Pública, mas não há 1 candeeiro público nas poucas ruas e becos de Alto Doca. Janeiro de 2015. Com 3 anos de impotência, nem Câmara, nem Electra conseguem chegar com os serviços públicos à esses munícipes e contribuintes, a pagar os seus impostos municipais e a famigerada Taxa de Iluminação Pública. Onde está a justiça social? Ou resolvem-se os problemas, ou …. manifestação cívica precisa-se!

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.