JCF: “um privilégio viver num país livre e democrático”

14/01/2016 07:43 - Modificado em 14/01/2016 07:43

jcfJorge Carlos Fonseca, Presidente da República de Cabo Verde, assinala o dia 13 de Janeiro, Dia da Liberdade e Democracia em São Vicente. O País já conta com 25 anos, um quarto de século, como um país democrático depois da vivência de 15 anos de partido único depois da independência de Cabo Verde.

Para Jorge Carlos Fonseca é “um privilégio” viver numa democracia, principalmente para as pessoas que vivenciaram a experiência de ter vivido num sistema de partido único, como aconteceu entre 1975 e 1990.

“Queremos criar um país mais justo e mais democrático mais integrativo, mais solidário, com menos desigualdades sociais, com menos assimetrias regionais. Mas, sobretudo, hoje falamos de mais liberdade. Como dizia alguém, devemos assinalar e festejar mais a liberdade porque tendo a liberdade temos todo o resto”.

Em 2015 o Parlamento aprovou que as festividades do 13 de Janeiro tenham a mesma formalidade de outras datas como o 20 de Janeiro e o 5 de Julho.

  1. Oliveira Santos

    Serà assim quando formos governados por democratas e viver na fraternidade. Isso é o nosso sonho. Ter os mesmos direitos e privilégios, fazer as mesmas contas e ter resultados iguais. Não haver cidadãos especiais e cidadãos sem direitos.
    Senhor Presidente,
    Continuamos à espera das suas intervenções . 40 anos basta de desingualdades .

  2. Oliveira Santos

    Não vou fazer um processo a esse senhor cuja capacidade é sobejamente conhecida internacionalmente mas lamento não ter conseguido sanar o enorme contencioso entre os ilhéus, contencioso criado pelo partido ùnico de um PM irreverente e antipàtico e incompetente. JMN que se julgou rei e senhor, foi desfazendo os laços fraternais que restavam entre os ilhéus e deixa uma herança pior do que recebeu do Pedro Pires, ilustre comandante do mato, que retomou o programa do Aristides Pereira de terra queimada em tudo quanto não fosse Praia. E assim, sem qualquer respeito pela Cidadania, foram criando os alicerces da Repùblica de Santiago rodeada de ôdio por todos os lados. Não so chamaram as elites das outras ilhas para enriquecer a Mega-Capital como tudo fizeram para o desmoronamento do que se podia aproveitar nas futuras colônias. Isso tudo somado constitui um grande handicap para quem vier, se a Nação continuar um joguete nas mãos de adeptos do totalitarismo e seguidores do diabôlico bairrismo xenôfobo. A ocasião so serà boa para se endireitar o Pais se houver vontade de Construir, acima dos interesses pessoais. Temos gente com vontade e capacidade de trabalhar mas temos muito mais que espera para ocupar a cadeira fazia e esvaziar o que resta do festim.
    Senhor Presidente,
    So implantando a Justiça termos o privelégio de viver numa Democracia, mesmo pobre.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.