A Caixa Económica de Cabo Verde compra dívida de 10,8 milhões de euros da TACV

7/01/2016 08:06 - Modificado em 7/01/2016 08:06

dinheiro_euros_notasA solução para tirar os Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) do buraco financeiro, resume-se na compra da dívida de 10,8 milhões de euros que será concentrada numa única instituição. Neste sentido, o Governo de Cabo Verde autorizou a subscrição da dívida junto das diversas entidades bancárias do País numa só instituição.

A Caixa Económica de Cabo Verde (CECV) vai comprar uma dívida de 10,8 milhões de euros dos Transportes Aéreos de Cabo Verde (TACV) junto das diversas entidades bancárias do arquipélago.

“A decisão de concentrar as dívidas da TACV junto de uma única entidade bancária permitirá poupanças significativas no volume de encargos financeiros pagos mensalmente assim como facilitará a gestão da tesouraria da empresa”, assegura o Primeiro-ministro José Maria Neves. O Chefe do Governo esclarece ainda que com esta solução pretende-se viabilizar medidas de saneamento financeiro da TACV e acrescenta que a maturidade dos créditos é alargada para 15 anos e sujeita a uma menor taxa de juros.

O Chefe do Executivo adianta que a companhia de bandeira está a realizar uma auditoria e que serão anunciadas as medidas para estabilizar a situação financeira da TACV, sendo que uma das soluções do Governo será a privatização da companhia. A TACV tem registado ruptura de tesouraria, tendo em conta que os gastos são muito superiores às receitas da empresa pelo que tem um passivo de 10 mil milhões de escudos (cerca de 90 milhões de euros), de acordo com a Lusa.

Em Dezembro, a TACV foi suspensa da Câmara de Pagamentos da Associação Internacional dos Transportes Aéreos (IATA), tendo agora que fazer todos os pagamentos a pronto ou antecipadamente.

Numa reacção à suspensão da TACV, a Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) decidiu deixar de aceitar bilhetes da TACV como forma de “evitar o avolumar-se de créditos”, disse o Delegado da empresa portuguesa em Cabo Verde, João Inglês.
O Governo cabo-verdiano pretendia privatizar a TACV até finais do ano passado mas, até agora, não encontrou um comprador.

A Ministra das Finanças, Cristina Duarte, disse anteriormente que o Executivo tem encontrado dificuldades com o “passivo crónico” de uma companhia que é pequena e que tem um reduzido número de aviões e de rotas.

O Movimento para a Democracia (MpD, maior partido da oposição) responsabiliza o Governo, único accionista, pela “má gestão” e pela “situação caótica” da TACV, considerando que a solução passa pela privatização da empresa.

Fonte Lusa

  1. Copypaste

    Queria comentar, mas como este que aprece um entendido da matéria ja disse tudo, vou somente fazer o copypaste:
    Analista de Mercado 07 Janeiro 2016 12:04Bem, vamos decompor esta noticia:- alargamento de 15 anos…sujeitando-se a uma menor taxa de juro….bla bla bla – seria a mesma coisa que manter os prazo de reembolso e aumentar a taxa de juro, caso contrário, o que ganharia a CECV ??? a não ser que no futuro pretenda receber a divida em acções da TACV, se calhar até tornar-se a accionista maioritária. Na verdade o que esta acontecendo aqui é o que eu venho dito ha muito tempo. O governo de CV anda sempre a copiar no governo de Portugal. A TACV e a TAP estão atravessando os mesmos problemas devido a estas cabulas. O que o governo fez foi aliviar as prestações mensais a serem pagas pela TACV, aumentando o prazo e consequentemente o valor da divida.O problema da TACV não esta nos funcionários, não esta na economia nem nestas outras desculpas que o vosso PM anda por ai a dizer aos 4 ventos, esta na GESTÂO, e para não assumirem o erro de quem colocaram no cargo, preferem ir tropeçando até enforcarem-se. Basicamente, é igual a história do Pinto da Costa com o Lofetegui.

  2. Copypaste

    Queria comentar, mas como este que parece um entendido da matéria ja disse tudo, vou somente fazer o copypaste:
    Pessoal, não sejam ignorantes, a CECV não esta usando o vosso $$$ para comprar a divida ….. o mais certo é emitirem notas novas, com o aval do estado e mediante forem cobrando a divida, vão destruindo a mesma quantidade de notas (investigar a teoria monetária). Outra coisa, quem vai pagar a divida, não é o contribuinte, continua sendo a TACV e não o governo. O que ganhou a TACV foi um alargamento no prazo de pagamento fazendo com que a TACV pague menos mensalmente e mais no fim do contrato. Para analise deste acordo, devia-se ter em conta outra situação: quem são os accionistas da CECV ? eles estão entre os que aprovaram esta decisão? será uma espécie de “reforma” a receber sob a forma de dividendos quando não estiverem exercendo actividade politica? É que se a resposta for sim, percentagem da TACV vai ficar nas mãos dos accionistas da CECV caso a TACV não conseguir arcar com o pagamento da divida.

  3. Silvério Marques

    Privatizar uma empresa falida ? O Estado deu o aval e isto significa que se os TACV não pagarem pagam os contribuintes, TODOS NÓS VAMOS PAGAR AS ASNEITAS DOS TACV / GOVERNO / JOSÉ MARIA NEVES. Quem é votou PAICV em 2011, que levante o dedo.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.