Barbearias: o refúgio dos vaidosos nesta época

30/12/2015 08:11 - Modificado em 30/12/2015 08:11
| Comentários fechados em Barbearias: o refúgio dos vaidosos nesta época

curso-barbeiroDezembro, mais concretamente, a última quinzena do ano, é uma época de grandes festividades, de família, celebrações, consumismo, entre outras.

Sendo o Natal principalmente uma festa de família e o fim do ano uma data de celebrações, de diversão e de família, mais uma vez, a maioria das pessoas vê a data como sinónimo de diversão e de estar com a família e os amigos no último dia do ano.

As festas são o prato forte dos mindelenses. São muitas e em diversos e distintos locais, desde as pequenas festas nos terraços, nos bairros da cidade, passando pelos grupos organizados, até aos grandes hotéis, que oferecem para esta data uma noite diferente, onde é só pagar e aproveitar a noite com os amigos.

As comemorações da noite de fim de ano estão a chegar e muitos desejam estar muito bem aprumados para poderem participar nas celebrações com todos os amigos, por isso, as barbearias estarão apinhadas de gente para cortar o cabelo e mudar o visual para usar nesta festa especial. A imagem tornou-se no item essencial para a passagem de ano.

Os cabeleireiros são os escolhidos para dar mais aprumo ao cabelo dos vaidosos, por isso, desde cedo, as barbearias e cabeleireiras são muito procuradas para o corte de cabelo e o novo visual para a passagem de ano. É neste sentido que este online resolveu fazer uma visita a diferentes locais, como barbearias e cabeleireiras que costumam estar abarrotados nesta época para o “corte”.

Para o barbeiro da zona de Fonte Filipe, a procura diminuiu muito em relação ao ano anterior, mas ainda continua num bom nível, pelo menos no seu caso. Noutros, o caso é diferente.

Zeca sabe quanto é importante para os jovens ficarem mais elegantes e, nesta época do ano, costuma contratar mais uma pessoa para dar resposta aos muitos pedidos que surgem. Porém, este ano as coisas estão mais fracas, conta o barbeiro que já não tem o mesmo movimento que teve nesta época no ano passado.

Além disso, “é uma profissão que faz muita amizade. O cliente chega e senta-se na cadeira. Há aqueles que gostam de conversar, há clientes que não gostam. Tem-se que se ser esperto. Aí não fica chato e eles acabam por voltar depois” e é o que acontece nesta época, onde aparecem, sobretudo, os clientes habituais.

No mesmo caminho estão as cabeleireiras que afirmam que o trabalho diminuiu neste ano, tendo estado no dia de Natal “às moscas”, o que não acontece normalmente nesta época do ano. “As mulheres já não querem procurar um salão, já compram um “Babyliss” e ficam em casa ou fazem um penteado ou, no último dos casos, deslocam-se às barbearias para cortarem o cabelo”, esclarecem.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.