Barbeiros: trabalhar até a hora do “pit”

30/12/2015 08:06 - Modificado em 30/12/2015 08:06

barbeiroTodo o mês de Dezembro a história repete-se: a corrida de preparação para a melhor passagem de ano possível. E neste aspecto, a preparação da mesa é importante. Um detalhe que fica é o visual que as pessoas vão usar neste dia. Mesmo tratando-se de algumas horas de festa, é especial e todos querem estar o melhor possível. Roupas novas e um visual renovado são itens básicos.

Nesta corrida de preparação para a meia-noite do dia trinta e um, algumas pessoas trabalham mais nesse dia do que o esperado. E muitos acabam por perder a oportunidade de ouvir “pit”, por causa do stress e do cansaço do trabalho, partindo do princípio que não podem deixar os clientes na mão.

Falando com alguns barbeiros, estes expõem os “ossos do ofício” que, às vezes, lhes prejudicam a oportunidade de passarem uma festa mais sossegada. “No dia 31 todos querem tirar cabelo e fazem fila na porta e você não pode mandá-los embora”, diz Rolando, da barbearia Roland’s em Monte Sossego. Esse deixar para a última hora do cabo-verdiano faz com que muitos barbeiros não voltem para as suas casas antes da meia-noite.

Como Conta Cau, barbeiro na zona de Fonte Inês, no ano passado por volta das onze da noite ainda tinha clientes à espera de vez. E não podia negar a fazer o serviço. E esta “boa vontade” custou-lhe um 31 de Dezembro mais descontraído. E, ao que aprece, a história repete-se todos os anos.

Para não passar todo o dia 31 a trabalhar, a barbearia Fonte Francês, nos dias de festa, aumentou o preçário para o horário depois das oito horas. Aconteceu no Natal, dias 24 e 25, e o mesmo acontece no último dia do ano. Se as pessoas não estiverem mais cedo no local vão acabar por, literalmente”, “pagar mais caro”. Estratégias para que as pessoas possam chegar mais cedo e tirarem alguma vantagem dos extras na barbearia.

As experiências ficam e Rolando, Rol, é um exemplo de quem escolheu parar de trabalhar no último dia do ano. “Houve um fim do ano em que trabalhei durante todo o dia e quando estava a fechar a porta comecei a ouvir o ‘pit’. E desde aquele dia disse que nunca mais trabalharia no dia 31”. E agora, a opção tem sido não abrir a barbearia nesse dia. Isso, como explica, para evitar que as pessoas se possam amontoar para tirar o cabelo.

O que os barbeiros esperam é que as pessoas possam chegar cedo e não deixarem para mais tarde, a fim de facilitarem o dia a todos.

  1. Joao Gomes

    Peco desculpa aos Barbeiros que tem de trabalhar durante todo dia e Noite, a vida e assim, sou tecnico trabalha para um Hotel tambem trabalho neste dia 31 ate a Noite, nos vinte e tal anos que trabalho nesse Hotel ja passei com a familia so os tal o resto e sempre no trabalho,
    As nossas proficao e mesmo assim, Bom Ano para Todos

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.