Deputado Alexandre Novais: “Dá lição de democracia ou é dor de cotovelo?”

21/12/2015 08:23 - Modificado em 21/12/2015 08:23

alexandre novaisO projecto da Cidade Desportiva a ser construída na cidade da Praia “não agrada nem a gregos nem a troianos”. Em concreto, não agrada ao deputado do PAICV Alexandre Novais que criticou a postura do seu partido. Neste sentido, há quem ache que o deputado está a dar um exemplo na política cabo-verdiana, mas há quem considere que esteja ressabiado por ter sido afastado da corrida das legislativas de 2016.

“Alexandre Novais é um exemplo a ser seguido por outros deputados nacionais. O deputado nacional é eleito para levar ao Parlamento a voz do eleitorado local que o elegeu, independentemente da lista partidária em que se incluiu. Deve fazê-lo com objectividade, frontalidade, racionalidade”, comenta Emanuel Brito, em relação à posição do deputado que não concorda com a construção da Cidade Desportiva na cidade da Praia. Também outros internautas se congratulam com Alexandre Novais pela sua frontalidade independentemente da sua cor política, uma vez que pertence ao PAICV que suporta o Governo  que anunciou o projecto à sociedade.

Nuno Ferreira, num comentário, apela ao aparecimento de mais políticos como Alexandre Novais e afirma que “políticos como este procuram-se urgentemente para as próximas listas dos partidos que até agora não constam independentes! Só aqueles que dizem AMÉM aos seus partidos! Temos de mudar. Deverá existir um movimento de Cidadania Urgente”, porém, outros comentaristas pensam que o deputado nacional está no fim do mandato do seu partido, PAICV, e, por isso, não tem nada a perder, frisa Mário Fernandes. Outros vão mais longe e pensam que “esse discurso é de dor de cotovelo por ter sido posto fora da próxima corrida legislativa”.

Ultrapassando as cores políticas

Os comentaristas ultrapassam a questão dos partidos e defendem que a construção da Cidade Desportiva é um assunto nacional. Sendo assim, Cruz diz que “se é verdade que algo construído numa ilha do nosso arquipélago servirá o País, não é menos verdade que se deve pensar em descentralizar a fim de permitir um desenvolvimento mais equilibrado e justo. Concordo com a opinião de Alexandre Novais e aqui não se trata de bairrismo algum. Somos ilhas e sabemos das dificuldades e dos custos para nos deslocarmos entre as ilhas. Em nome de mais unidade, coesão e desenvolvimento harmonioso é necessário repensar e pensar os investimentos em Cabo Verde para que o País continue a ganhar, a ser referência no nosso continente e não só”. A futura Cidade Desportiva trouxe à tona opiniões díspares sobre o comportamento dos políticos em Cabo Verde, assim como retoma o tema da regionalização “cada ilha, uma região autónoma para gerir e construir instituições desportivas, administrativas. etc. Mas o 1º Ministro é contra e penso que a razão de ele ser contra a regionalização, é porque os impostos (dinheiro do povo) deixarão de ser canalizados para a ilha de Santiago”, diz Francisco Andrade.

  1. Nita Soares

    O PM é obtuso e com ele so se constroi o que favorece a Praia ou a Repùblica de Santiago.

  2. Alexandre de Novais

    Caro articulista. Pela parte que me toca e aqueles que sempre me acompanharam de perto no meu trabalho de Deputação Nacional sabem disso, sempre defendi um outro olhar sobre este nosso país arquipelágico da parte dos nossos Governantes. Foi assim aquando da Cidade Administrativa (lembras-se?), foi assim aquando da discussão sobre a DNOT, sobre a localização do Campus Universitário que a China quiz fazer em São Vicente, pela reposição da tutela administrativa de Santa Luzia em São Vicente, neste caso concreto da Cidade Desportiva e é e será sempre assim. Estou sim a terminar o meu 1º mandato como Deputado Nacional e continuarei com a mesma postura até ao seu término sem nenhuma espécie de condicionalismo seja este qual for. E digo tranquilamente que para mim já chega, porque a Deputação Nacional assim como é praticada em CV tem o poderoso dom de nos afastar das preocupações do nosso circulo de origem e isso é nefasto para o nosso desempenho. È por isso e por outras que desde há muito tempo decidi não me candidatar a mais nenhum cargo nacional mas sim dedicar-me plenamente a São Vicente. Talvez um dia num Parlamento Regional, num Cabo Verde Global e Inclusivo, ou dizendo melhor num Cabo Verde Regionalizado. Abraço amigo, Xazé Novais

  3. Eduardo Oliveira

    Caro Conterrâneo, Senhor Deputado:
    Li com imenso agrado a mensagem que envia ao articulista e aproveito o ensejo para lhe felicitar pela sua postura. Efectivamente, um Deputado, mesmo apresentado por um partido, nunca deve ser um instrumento de ou menino de recados de quem o apresentou mas um Representante de Circulo para o bem da Nação inteira. Caso contrario a deputação não será senão uma deportação, perda de hombridade do eleito e descrédito do seu partido.
    Ademais, é nosso dever contribuir para a democracia e para que a ditadura seja banida.
    Boa sorte e… continue respeitando o seu nome e o da sua Família

  4. Augusto Galina

    “Alexandre Novais dá lição de democracia ou é dor de cotovelo?”

    Pode ser uma coisa ou outra, coisas que acontecem na vida de qualquer politico. Mas o que importa presentemente é a atitude de condenar publicamente as injustiças e as arbitrariedades que causam grandes confrangimentos ao povo cabo-verdeano e cria um odio entre uns e outros.
    Em vez de perguntar (ou divagar), melhor seria seguir as peugadas de alguem que se prontifica a enfrentar o touro que nem combate quer na medida em que se sente suficientemente forte para enfiar os cornos a norte, a sul, a este e a oeste.

  5. Pedro barbosa

    Lembro-me de ter ouvido o Deputado Novais a defender com entusiasmo os interesses dos que o elegeram nas suas primeiras intervencoes na Assembleia mas depois pareceu-me ter sucumbido aos interesses da cupula do Partido. Parabens por ter acordado e nunca eh tarde para voltar a razao.
    Apoio o Partido de Cabral e se bem me lembro nos seus escritos defendia a representacao popular e nao o culto de obediencia chega.
    Os deputados sao eleitos por voto popular e por tal representam primeiro e obrigatoriamente os que os elegem.

  6. Pedro barbosa

    Quis dizer “obediencia cega “

  7. Jose Tavares

    E que tal se construirmos metade em S.Vicente e metade na Praia, Hein? Vamos lá.

Os comentários estão fechados.

Publicidades
© 2012 - 2018: Notícias do Norte | Todos os direitos reservados.